Baboseiras nos anais. Já o artigo de Sérgio Blattes…

Uma decisão tomada hoje pelo plenário do Legislativo permite, com certeza, uma boa antevisão do que se dará a partir do ano que vem, em que teremos eleição para Governador (e também para a Câmara Federal, Assembléia Legislativa, um terço do Senado e Presidente da República.
      Explico: o vereador Vilmar Galvão, do PT, requereu a inserção, nos anais da Câmara, de artigo publicado em 10 de março, no jornal Diário de Santa Maria, de autoria do advogado Sérgio Blattes (que também é comentarista da Rádio CDN).
      No texto, sob o título “Onde está Bisol”, Blattes faz comparações entre o governo estadual atual e o passado, na área de segurança – setor que teve como secretário, durante todo o mandato, o ex-magistrado José Paulo Bisol.
      Foi realmente incrível a reação dos vereadores. E, fato muitíssimo raro, o requerimento acabou recusado. O placar: 8 x 4. Só a bancada do PT (o próprio Galvão, mais Luiz Carlos Fort, Loreni Maciel e Jorge Trindade)votou a favor. Todos os demais parlamentares presentes; os tucanos Júlio Brenner e Jorge Pozzobon, os peemedebistas João Carlos Maciel, Magali Adriano e Cláudio Rosa, os pepistas Sérgio Cechin (que foi à tribuna defender o atual secretário de Segurança, José Otávio Germano – a quem pretende apoiar na candidatura deste à reeleição para a Câmara Federal) e Ovídio Mayer e o pedetista Isaías Romero; decidiram rejeitar a proposta.
      Olha: os anais da Câmara estão cheio de algumas baboseiras inseridas pela vontade invariavelmente unânime dos parlamentares. Textos nem sempre bons, sequer consistentes. Muitas vezes sugeridos apenas pelo interesse de agradar a A ou B. O que, reconheço, é legítimo – embora estética e politicamente contestável. E, no entanto, um artigo de indiscutível qualidade (sem que entremos no mérito do que defende) acaba sendo rejeitado, numa decisão rara, senão única.
      É evidente a este jornalista que o que se julgou não foi o que Blattes escreveu, mas o ainda presente maniqueísmo que preside as relações políticas estaduais, com indiscutíveis reflexos locais. É por isso, entre outros motivos, que acho muito engraçado que alguém possa imaginar uma união, mesmo que eleitoral/eleitoreira entre PMDB e seus aliados com o PT, no Rio Grande do Sul (leia, mais abaixo, a nota “Geeente!!! O mundo está virado!!!!”, postada às 21:17:44.
      EM TEMPO: estou solicitando a Sérgio Blattes, o artigo “Onde está Bisol”, o causador de tamanha discórdia, para republicá-lo aqui. Aí, bem.. aí, você, leitor, é que vai julgar.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *