Decretado o silêncio no PMDB? Não adiantará grande coisa, mas…

Ao menos essa é a impressão. Pelo que pude apurar, o comando não gostou nadinha de ver a discussão interna tornar-se pública através desse humilde espaço na grande rede de computadores. No entanto, aparentemente, o controle é apenas para o respeitável público, de vez que, internamente, transbordam manifestações indignadas – especialmente porque ficou a impressão, a vários, de que teve gente “feita de bobo” naquele encontro regional ocorrido em Dilermando de Aguiar, no dia 15.
      Na ocasião, ao mesmo tempo em que as coordenadorias regionais eram encarregadas de discutir a possibilidade de um candidato único à Assembléia Legislativa, representando o partido no Centro-Oeste do Estado, inclusive indicando cinco pré-candidatos, pelo menos três desse quinteto corriam (e correm) em faixa própria. Um, com o apoio do Diretório Estadual; outro referendado por Santa Maria; e um terceiro contando com a adesão de vários municípios menores.
      Resultado: houve quem pensasse ter sido feito de “bobo” nas “discussões” de Dilermando. E, assim, melhor decretar um “silêncio obsequioso”, baixar a poeira e deixar tudo para depois.
      É? É! Mas isso não evitará as disputas que, cedo ou tarde virão, outra vez, a público. Alguém duvida?



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *