Crise no PMDB sem data para terminar. Afinal, o Diretório e a Executiva ainda existem

Do título, a única coisa certa é o que diz a primeira frase. Qualquer que seja o encaminhamento do bafafá entre os contra e a favor de Cláudio Rosa, ninguém garante que haverá algum tipo de solução para a crise. Especialmente porque os indícios são todos no sentido de que a maior liderança da sigla no município, Cézar Schirmer, dianta da impossibilidade de um acordo mínimo, teria “lavado as mãos”.
      Quanto à pergunta embutida na segunda frase do título desta nota, a resposta é… niiiinguém sabe. Exceto que, taaalvez, na próxima semana, todos (de um lado e de outro, mais Schirmer) serão recebidos pelo Senador Pedro Simon, o presidente regional. É pouca coisa, mas é melhor que nada, como me disse alguém, agora há pouco, por telefone.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *