Arquivo

O que diz o impacto de vizinhança feito para o novo Centro de Eventos

A prefeitura surpreendeu todo mundo ao anunciar que o relatório de impacto de vizinhança, necessário para a construção do novo Centro de Eventos, no local onde hoje se encontra o Centro Desportivo Municipal, está pronto desde 8 de fevereiro. O vereador Cláudio Rosa, um dos dois votos contrários à parceria entre Prefeitura e Cacism para a construção do CE e a contrapartida do Parque Municipal, é um dos que simplesmente não acredita que tal estudo tenha sido feito.
Na reportagem a seguir, publicada nesta sexta-feira pelo jornal A Razão, em texto de Elisa Pereira, você fica sabendo mais sobre o parecer técnico que o Executivo anunciou já possuir.

“Estudo de impacto analisou 5 pontos
Parecer técnico que a Prefeitura possui desde fevereiro libera obra do Centro de Eventos no CDM
Cinco pontos são analisados no estudo de impacto de vizinhança no qual a Prefeitura está se baseando para determinar a construção do futuro Centro de Eventos da cidade no campo de futebol do Centro Desportivo Municipal (CDM).
A existência do parecer técnico, datado de 8 de fevereiro, só foi divulgada nesta quarta-feira pelo governo municipal, quase dois meses após a elaboração do documento.
A informação foi dada pela assessoria de imprensa do gabinete do prefeito e confirmada, posteriormente, pelo secretário de Turismo e Eventos, Paulo Ceccim. O anúncio ocorreu um dia depois do Legislativo ter aprovado na terça-feira o convênio entre a Prefeitura e Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Santa Maria (Cacism) para gerenciamento e administração conjunta do Centro de Eventos.
O parecer de três páginas e meia é assinado pelo presidente do Escritório da Cidade, Vilson Serro, a vice-presidente do órgão, Marian Moro, pelo secretário de Trânsito e Transporte, Carlos Félix, e a secretária de Proteção Ambiental, Ester Fabrin. O primeiro aspecto analisado é acapacidade das redes de infra-estrutura urbana, como de energia elétrica, de água e esgoto, nos arredores do local escolhido para abrigar a obra. “Quanto a esses quesitos temos em anexo documentos oriundos das concessionárias respondendo positivamente sobre o empreendimento considerado”, destaca um trecho do parecer.
Com relação ao ponto referente ao impacto da obra no sistema viário da região o estudo conclui que os ajustes necessários são viáveis e possíveis. É destacado o fato do CDM ser cercado por duas avenidas, a Presidente Vargas e a Borges de Medeiros, que suportariam a trânsito gerado pelo empreendimento, além da região ser abastecida de várias linhas e horários de ônibus. O terceiro e quarto pontos indicam que não há incompatibilidade do empreendimento com a paisagem urbana da vizinhança, volumetria dos edifícios daquela zona, aquiescência da população e atividades humanas vizinhas. No quinto aspecto verificado, a obra é considerada compatível com os recursos naturais existentes próximo ao CMD, pois não está localizada em área verde, de preservação ou conservação. Ao final da análise técnica é salientado que de acordo com o estudo de impacto de vizinhança realizado não há impedimento para que o Centro de Eventos seja construído no CDM…

QUEM DESEJAR ler a íntegra da reportagem, pode fazê-lo na página do jornal A Razão na internet, no endereço www.arazao.com.br.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo