Antenas. Zambiasi também adere a lobby por Centro de Pesquisas Espaciais de Sta Maria

A viabilização do Centro Regional Sul de Pesquisas Espaciais em Santa Maria, o que já consumiu uma quantidade bem expressiva de recursos financeiros ao longo dos últimos anos, ganhou apoio na tribuna do Senado da República, em Brasília. Um dos três representantes gaúchos na casa, o petebista Sérgio Zambiasi defendeu, nesta quarta-feira, a permanência do CRSPE na cidade, e como instituição autônoma do Instituto Nacional de Pesquisa Espaciais.

A inportância dessa unidade de pesquisa para os estudos científicos, além do fantástico impacto econômico que resultaria para a comunidade e a região, com reflexos inclusive no Estado, foram enfatizados por Zambiasi.

O parlamentar também relatou o fato de ter sido entregue aos ministros Tarso Genro, das Relações Institucionais, e Dilma Rousseff, da Casa Civil, um documento assinado pelo trio de senadores gaúchos (os outros dois são Pedro Simon e Paulo Paim), além de várias outras autoridades do Estado, defendendo o CRSPE em Santa Maria, e manifestando a preocupação com a possibilidade de uma mudança de rumos nessa instituição.

Na manifestação, o senador do PTB também se pronunciou defendendo a permanência, no comando da unidade santa-mariense, do professor Nelson Schuch, o que seria “essencial para a continuidade do projeto”.

Sobre o discurso de Sérgio Zambisi leia, a seguir, material distribuído aos veículos de comunicação pela assessoria de imprensa da Universidade Federal de Santa Maria:

”Zambiasi defende a instalação de um centro de pesquisas espaciais no RS

O senador Sérgio Zambiasi destacou nesta quarta-feira, dia 5, na tribuna do Senado, a importância da viabilização do Centro Regional Sul de Pesquisas Espaciais, com sede em Santa Maria, uma unidade de pesquisa do Ministério da Ciência e Tecnologia, autônoma do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Zambiasi disse que o projeto poderia contribuir para amenizar as perdas que o Rio Grande do Sul vem sofrendo todos os anos na agricultura com secas e enchentes.

Segundo ele, mais do que amenizar os efeitos da seca ou das enchentes, é preciso evitar que grandes desastres aconteçam. Zambiasi destaca que estudos na área da ciência e da tecnologia poderiam ajudar os pequenos agricultores a trabalhar com maior precisão e evitar perdas como as que temos registrado nos últimos anos.

O parlamentar informou que um documento assinado pelos três senadores gaúchos e por diversas autoridades políticas do Rio Grande do Sul foi encaminhado à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e ao ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais, Tarso Genro, para manifestar a preocupação com o projeto que, segundo ele, beneficiaria milhões de gaúchos, além de promover a ciência e a tecnologia do Brasil.

O projeto prevê a utilização da infra-estrutura local, incluindo a do Observatório Espacial do Sul, no município de São Martinho da Serra. De acordo com Zambiasi, a idéia já foi amplamente defendida e discutida em todos os níveis e hoje encontra-se em fase final de decisão junto à Casa Civil da Presidência da República.

Zambiasi destacou os benefícios que o Centro Regional de Pesquisa Espacial poderia proporcionar à região. Para ele, o uso das informações de previsão de tempo e clima poderia minimizar perdas ou potencializar lucros na agricultura, no turismo, na pesca, na energia elétrica, nos transportes, no setor produtivo primário e nos setores empresarial e industrial.

A instalação do Centro de Pesquisas também poderia resultar em impacto direto na economia da região, com a geração de empregos, previsão meteorológica específica, avisos precisos para a defesa civil em casos de calamidades, além de possibilitar o planejamento urbano e rural, o monitoramento de safras, o controle da degradação do solo e dos recursos hídricos e geológicos. “Isso sem falar na possibilidade de atração de indústrias de alta tecnologia para a região”, lembra…”


SE DESEJAR ler a íntegra da notícia, pode fazê-lo acessando a página do UFSM na internet, no endereço www.ufsm.br.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *