Primeiro escalão. Talvez não seja tão difícil assim montar um ministério. Que tal esse!

O que não tem faltado ultimamente, na imprensa, é lista. Quem tem chance ou não de emplacar um ministério parece ser o esporte favorito de muitos jornalistas. E não deixa de ser importante, na medida que o que os analistas buscam é aferir, afinal de contas, mais que os nomes, o perfil do segundo mandato de Lula. Que, todos têm certeza, precisa ser muuuito diferente do primeiro.

De todos os observadores da política nacional que tenho lido, aquele que fez a sua lista com maior clarividência – e não importa se esteja certa ou errada – é o veterano jornalista Tão Gomes Pinto. Que tem, entre outros créditos, o de ser um dos fundadores da revista Veja, com Mino Carta e outros muito bons. Era o tempo em que a Veja fazia reportagens, e não futricas. Mas isso já é outra história.

Fiquemos então com a lista do Tão. Que, aliás, se mostra bastante otimista quanto à qualidde dos nomes. Não, não precisa concordar com ela. Apenas note a coerência. E depois se confere se ela emplaca ou não:

”Começa a sair um desenho de ministério. Mais consistente

Começou a ser desenhado, de forma mais nítida, o futuro ministério de Lula. Com poucas surpresas, mas aparentemente um ministério “mais sólido e consistente” do que o do primeiro mandato, na avaliação de uma fonte palaciana. Vamos examinar, um a um, os nomes “mais consistentes”, pelo menos os que estão sendo assim definidos pela fonte.

Ciro Gomes – iria para a pasta da Saúde, uma das mais problemáticas dos últimos governos. Credencial: Ciro, onde chega faz acontecer.

Marta Suplicy – assumiu a campanha em SP e a votação de Lula saltou 5 pontos. Pulou de 37 e picos para 42. Mostrou força eleitoral na capital dos “aloprados”. Traz a experiência de ter administrado a maior cidade do país.

Geddel de Lima – assume a Integração Nacional e engorda a fatia do PMDB. Com o compromisso de tocar a transposição do São Francisco.

Fernando Haddad – será mantido no cargo. Representa a nova safra de jovens “executivos” considerados eficientes pelo presidente.

Delfim Netto – essa pode ser a grande surpresa do novo ministério, menos pelo personagem, já assimilado pela esquerda, e mais pela pasta, a da Previdência. Lula teria conversado longamente com Delfim sobre o assunto e concluiu que só com algumas das suas idéias poderá amenizar a dramatica e caótica situação atual.
P.S. – Se não for para a Previdência, Delfim pode ocupar, pela ordem: 1 – O Ministério da Agricultura; 2 – a presidência do Banco Central.

Guido Mantega – Na avaliação de um ministro atual de Lula, apesar de paulista, é um paulista que não pensa como paulista. O que o credencia para continuar no cargo de Ministro da Fazenda. Mas teria problemas internos no relacionamento dentro da própria equipe. Assim seria substutuído por Paulo Bernardo, do Planejamento, numa troca de posições. Ou voltaria a presidir o BNDES, cargo que estaria mais adequado à sua estatura técnica, segundo a fonte.

Jorge Viana – seria sangue novo (e acreano) no ministério. Sua habilidade política o credência para ser um chefe da Casa Civil. É tido como bom articulador. Somaria com Tarso Genro.

Dilma Rousseff, continuaria responsável pela área de Infra-estrutura, que necessitará de ações rápidas e pulso firme.

Agnello Queiroz – segue no Esporte pelo seu desempenho eleitoral que o transformou numa das principais lideranças da esquerda no Distrito Federal.

Mares Guia – somou cacife para voar mais alto na Esplanada do que o Ministério do Turismo.

Assim, ainda para negociar com o PMDB e eventuais interessados, Lula teria ministérios fortes, como o poderoso (em matéria de recursos) setor dos Transportes, que aliás já está com o partido, Comunicações, idem com batatas, mas podendo o ministro Hélio Costa ser substituido, e ainda o Ministerio da Agricultura, (se não der Delfim), o da Reforma Agrária, o da Ciência e Tecnologia, ou do Meio Ambiente tudo com “porteria fechada”, como se diz atualmente. Além de vários penduricalhos menores.

Ah, sim, parece que intenção do presidente fazer uns agradinhos até ao PDT.”


SE DESEJAR ler este e outros artigos, pode fazê-lo acessando a página de Tão Gomes Pinto na internet, no endereço http://taogomespinto.blig.ig.com.br/.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *