Arquivo

De bom tamanho. Vem aí apenas o “Dia do Frei Galvão”. E não mais um feriado nacional

Ufa, parece que os congressistas tomaram tento. Por mais respeito que se possa ter à figura do frei Galvão, por parte da maioria católica do País (inclusive este que vos escreve), estava mais para puxa-saquismo do que qualquer outra coisa a idéia de tornar o 11 de maio em feriado nacional. Mesmo que fosse apenas neste 2007.

 

Tem horas que a gente imagina que deputados e senadores vivem, meeeesmo, num outro mundo. Só deles. E a sociedade (e os eleitores que os elegeram) que se dane. Afinal, um feriado a mais ou a menos, devem imaginar, que mal tem? Sim, tem mal. O país não pode parar só porque uns e outros querem.

 

Ah, depois de ter passado pelo Senado, a proposta de folga geral foi, num átimo de lucidez, e não sem alguma pressão, barrada pela Comissão de Educação da Câmara dos Deputados. Que transformou o virtual feriado em “Dia do Frei Galvão”. Assim como deve ter o Dia do Deputado, e certamente tem o Dia do Jornalista (7 de abril, pra quem não sabe). E já está de bom tamanho.

 

SUGESTÃO DE LEITURA – leia aqui a reportagem  “Comissão rejeita feriado e votará Dia de frei Galvão”, publicada pela página de Notícias do portal Terra.

 

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo