Arquivo

Ranking do MEC. UFSM é a terceira melhor universidade do Rio Grande do Sul. E a 20ª do Brasil

A cada dia – e quem escreve é, obviamente, um neófito – surge um indicador novo, para aferir a qualidade das universidades brasileiras em geral, e dos cursos superiores em particular. Nesta segunda-feira, mais um deles foi divulgado. É o Índice Geral de Cursos, uma espécie de ranking elaborado pelo Ministério de Educação, a partir de alguns critérios bem claros.

 

Pois bem, pelo IGC, a Universidade Federal de Santa Maria é a terceira melhor do território gaúcho – perde para duas outras instituições públicas, ambas da capital, a UFGRGS e a Faculdade de Ciências Médicas. Mas, e isso é lisongeiro, cá entre nós, é a 20ª de um total de 176. Não é pouca coisa não. A propósito, confira material divulgado pela Coordenadoria de Comunicação da UFSM. A seguir:

 

“UFSM fica em 20º lugar no país no Índice Geral de Cursos
 

A UFSM ficou na 20ª colocação entre as 176 universidades que constam no Índice Geral de Cursos (IGC), novo indicador criado pelo Ministério da Educação (MEC) que foi divulgado pela primeira vez nesta segunda (08/09). O IGC tem a intenção de sintetizar, para cada instituição, a qualidade de todos os seus cursos de graduação, mestrado e doutorado, distribuídos na totalidade de campi e municípios onde a instituição atua. O resultado final está em valores contínuos (que vão de 0 a 500) e em faixas (de 1 a 5). Além das universidades, também foram calculados os conceitos de 131 centros universitários e de 1.144 faculdades isoladas e integradas.

A UFSM foi classificada na faixa 4, com a nota 361. No Rio Grande do Sul, ela ficou em 3º lugar entre as 17 universidades listadas. Nos dois primeiros lugares estão a Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), que ficou na faixa 5 e com nota 425, e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), que ficou na faixa 5 e com nota 410. Na classificação nacional, o 1º lugar coube à Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que está na faixa 5 e com nota 439.

No cálculo do IGC, são utilizados a média dos conceitos preliminares dos cursos da instituição (CPC) – componente relativo à graduação – e o conceito fixado pela Capes para a pós-graduação. A média dos conceitos dos cursos é ponderada pela distribuição dos alunos entre os diferentes níveis de ensino (graduação, mestrado e doutorado).

Para esta primeira divulgação do IGC, foram utilizados os CPCs referentes às edições do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) no período de 2005 a 2007. Esse indicador de cursos considera, além de resultados de avaliação de desempenho de estudantes, infra-estrutura e instalações, recursos didático-pedagógicos e corpo docente…

 

SUGESTÃO DE LEITURA – confira aqui a íntegra desta e, se desejar, também de outras reportagens produzidas pela Coordenadoria de Comunicação Social da UFSM.

 

 

ATENÇÃO


1) Tua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo