Arquivo

Incrível. Gilson Piber e a possibilidade de o PMDB cair para a segundona da política gaúcha

“…Assisti, também, a Rigotto desbancar Britto, então no PPS, e Tarso Genro, numa vitória extraordinária do PMDB. Também vi o PMDB tirar o mesmo Rigotto do 2º turno, migrando muitos de seus votos para a tucana Yeda Crusius, que depois derrotou Olívio e o PT. De quebra, vi Ulysses Guimarães receber uma votação aquém das expectativas, quando Fernando Collor bateu Lula na primeira eleição direta para presidente após a ditadura militar. Vi o PMDB andar com FHC em dois mandatos, criticar Lula no início da sua administração e aderir ao governo petista depois…”

 

“… Se alguém chegasse ao RS e ouvisse tal história, diria que era piada e de mau gosto. O PMDB vive uma época de colheita no Estado. Fogaça, de volta ao PMDB, obteve a reeleição para a Prefeitura de Porto Alegre. Sartori também se reelegeu prefeito em Caxias do Sul. Em Santa Maria, na terceira tentativa consecutiva, o PMDB chegou ao poder com Cezar Schirmer….”

 

 

Os parágrafos acima fazem parte do artigo “PMDB a reboque?”, escrito por Gilson Piber, jornalista, radialista e professor do curso de Jornalismo da Unifra. É, também, mestrando em Ciências da Linguagem, que cursa na Unisul, em Santa Catarina. Piber é colaborador semanal deste sitio. Para conferir o texto na íntegra basta ir à caixa de “Artigos”, ao lado. Ele foi postado na manhã desta terça-feira. Boa leitura!

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo