Arquivo

Não custa lembrar. Pergunta não cala:que empresa escravizava trabalhadores em Cacequi?

Confira a seguir trecho de nota que publiquei na manhã de 22 de janeiro de 2008, uma terça-feira:

“Dúvida. Estão as autoridades protegendo a empresa que escravizava trabalhadores em Cacequi

Confira nota que publiquei aqui mesmo em 26 de novembro. Depois, o meu comentário. A seguir:

 

“Só uma perguntinha. Qual é mesmo o nome da empresa que escravizava trabalhadores em Cacequi?

 

Faz duas semanas. E até agora não foi divulgado o nome da empresa que escrevizava meia centena (em números redondos) de trabalhadores no interior de Cacequi. Diz-se que é uma madeireira. Que seria subsidiária de uma grande organização multinacional.

 

Sim, ou não, mas quem é? A falta de informações oficiais por parte da Polícia Federal, da Delegacia do Ministério do Trabalho e da própria Justiça do Trabalho – que chancelou o acordo pelo qual os trabalhadores foram pagos e até já foram embora – está permitindo uma série de ilações. Uma delas é que se trata de algum peixe tão graúdo, mas tão graúdo, que até protegido pelas autoridades está...”

 

Para ler a íntegra, acesse aqui.

 

PASSADO EXATAMENTE UM ANO da publicação da nota acima, e 14 meses do fato aludido, a pergunta continua silenciosamente barulhenta: afinal, que empresa é essa que escravizava trabalhadores em Cacequi e que, até o presente momento, é uma ilustre (e trambiqueira, e sem-vergonha) desconhecida?

ATENÇÃO


1) Tua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo