Arquivo

Corrupção. Jarbas fez do PMDB a “geni”, e mídia grandona se aproveita. Mas, cadê os outros?

Não morro de amores pelo PMDB. Aliás, não morro de amores por partido algum. Entendo que todos eles são, de resto, fundamentais para a democracia. E acho, sim, que Jarbas Vasconcelos (foto) tem lá suas razões, e muito boas, para criticar o próprio partido – embora talvez fosse mais adequado se retirar dele, por moto próprio, inclusive para não permitir que se diga ser seu único objetivo viabilizar a própria vontade de ser vice-presidente da República, na chapa de José Serra, do PSDB

 

Dito isto, o que o senador pernambucano, de história política inatacável (ao contrário de uns e outros, não esqueci do MDB “autêntico”, que tinha João Gilberto Lucas Coelho como um dos líderes, nos anos difíceis do regime militar), no entanto, está conseguindo algo subsidiário que, taaalvez, não desejasse: transformou o PMDB na “geni” da política brasileira. Ao ponto de permitir imprecisões da mídia grandona.

 

Exemplo objetivo é a reportagem publicada n’O Estado de São Paulo. Ora, é verdade que mais da metade dos senadores do PMDB estão sendo processados (o que não quer dizer condenados). Mas também é verdade que o Congresso não é exatamente uma casa de beatos. E o PMDB não é, longe disso, o único demônio. Hein?

 

Isso mesmo. Minha memória eventualmente falha, mas o arquivo, não. No dia 6 de junho do ano passado, passava pouco da meia noite, quando publiquei a nota “1/4 do total. Aumenta em 36% o número de parlamentares federais encrencados com a Justiça” – com base em excelente reportagem do sítio especializado Congresso em Foco. Se você a reler (pode fazê-lo clicando aqui), notará que tooodos os partidos, em maior ou menor grau, tem seus demoninhos. E alguns bastante demoniões – inclusive do partido que, tem todo o jeito, Jarbas gostaria de aliar-se Assim, gente, devagar com o andor. O PMDB é o que Jarbas disse. Mas, só ele?

 

Então, leia a reportagem d’O Estadão, que reproduzo a seguir. Mas não esqueça da outro nota, de oito meses atrás. A foto é de Fabio Rodrigues Pozzebom, de Agência Brasil. Acompanhe:

 

“Dez de 19 senadores do PMDB foram parar no STF

 

Levantamento na base de dados do Supremo Tribunal Federal (STF) mostra que 10 dos 19 correligionários de Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) no Senado respondem a processo ou são investigados. No total, a bancada do PMDB contabiliza 13 inquéritos, 4 ações penais e 5 investigações. Em entrevista à revista Veja, Jarbas disse que no PMDB “boa parte quer mesmo é corrupção”.

Um dos casos mais adiantados no STF envolve Valdir Raupp (PMDB-RO), ex-líder do partido no Senado. Ele foi denunciado pelo Ministério Público acusado de usar dinheiro obtido de empréstimo do Banco Mundial, quando era governador de Rondônia, para finalidades distintas das previstas em contrato. Até o momento, seis ministros votaram a favor de ação penal no STF. Apenas um votou por arquivar o caso. Se aceita a denúncia, será a terceira ação penal a que Raupp terá de responder no STF. O senador afirma estar tranquilo em relação ao julgamento, disse ser inocente e garante que aplicou corretamente os recursos.

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), livrou-se recentemente do inquérito mais problemático que corria contra ele no STF graças à morosidade da Justiça. Era acusado de…”

 

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo