Pesquisa

PESQUISA. Ok, houve queda na popularidade presidencial. Agora, “só” 76,8% apóiam Lula

Que coisa!!! Entre os fatores apontados para a queda da popularidade de Luiz Inácio Lula da Silva estão, pela ordem, o rolo do Senado e a posição de defesa pública do encalacrado José Sarney, o bafafá (mais verbal que qualquer outra coisa) envolvendo a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira e a ministra Dilma Rousseff, e até a gripe malvada. Todos argumentos que calaram contra Lula, mas especialmente nos mais “politizados” Sul e Sudeste.

Com quase 80% de popularidade, você queria o quê? Que ele chorasse?
Com quase 80% de popularidade, você queria o quê? Que ele chorasse?

Ainda assim, e sujeito a bombardeio implícito diário, contra si ou seus parceiros, da mídia grandona e dos “doutos” observadores da cena nacional, o Presidente da República ostenta apoio explícito de 76,8% dos brasileiros, conforme pesquisa divulgada pelo Instituto Sensus, sob encomenda da Confederação Nacional dos Transportes. É impressionante, mesmo que se considere que, três meses atrás, o percentual alcançava 81,5%. Quase nada, cá entre nós.

Como se explica isso? Ah, não. Isso eu deixo para aqueles “especialistas”. Quanto a mim, fico com o óbvio: o homem é pop por uma série de atitudes, mas sobretudo pela idéia que passa (respaldada em ações bem concretas) que governa para a maioria da população, e não apenas para uma elite. O resto… é o resto.

Ah, sobre a pesquisa, e especificamente em relação aos quesitos envolvendo a popularidade presidencial, acompanhe reportagem distribuída pela Agência Brasil. O texto é assinado pela jornalista Roberta Lopes, com foto de Antonio Cruz. Confira:

Popularidade de Lula e avaliação do governo caem em setembro

A popularidade do presidente Luiz Inácio Lula da Silva caiu 4,7 pontos percentuais em setembro, de acordo com a Pesquisa CNT/Sensus, divulgada hoje (terça, 8) pela Confederação Nacional do Transporte e o Instituto Sensus. De acordo com a pesquisa, a popularidade de Lula este mês ficou em 76,8%. Em maio, quando foi feito o último levantamento, era de 81,5%.
De acordo com o diretor do Instituto Sensus, Ricardo Guedes, entre os fatores que causaram a queda estão a crise no Senado e a influenza A (H1N1) – gripe suína.

“Há uma comunicação menos direta com o povo e há o efeito Lina e Dilma [a contradição entre as afirmações da ex-secretária da Receita Lina Vieira e da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff sobre um suposto encontro secreto das duas], o Senado e também a saúde”.
A avaliação do governo também teve queda de 4,4 pontos percentuais. Em setembro, a avaliação positiva do governo foi de 65,4%, enquanto em maio, na última pesquisa, havia sido de 69,8%. A queda foi verificada principalmente nas regiões Sul e Sudeste, entre mulheres da área urbana com alta escolaridade e entre as pessoas mais jovens e as mais velhas…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

SUGESTÃO ADICIONAL – confira aqui, se desejar, também outras reportagens produzidas e distribuídas pela Agência Brasil.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo