Congresso

VIOLÊNCIA URBANA. Pimenta, com presidente da CPI, adianta trabalho com Diretor Geral da PF

Silveira e Pimenta: hoje na PF, depois no STF e com o ministro da Justiça
Silveira e Pimenta: hoje na PF, depois no STF e com o ministro da Justiça

É como interpreto: adiantar trabalho. O que, cá entre nós, é bom para o desenvolvimento da Comissão Parlamentar de Inquérito que apura, no âmbito da Câmara dos Deputados, a violência urbana no Brasil. O presidente da CPI, Alexandre Silveira (PPS-MG), e o relator, o santa-mariense Paulo Pimenta (PT), conversam nesta quarta-feira com o diretor geral da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa.

Os detalhes do encontro, e o que os parlamentares pretendem extrair dele, você confere no material distribuído pela assessoria do deputado Paulo Pimenta. A foto é de Fabrício Carbonel. Acompanhe:

 “CPI da Violência Urbana faz visita institucional ao Diretor Geral da Polícia Federal

Os deputados federais Alexandre Silveira (PPS-MG) e Paulo Pimenta (PT-RS), presidente e relator da Comissão de Violência Urbana, iniciam a partir desta semana uma série de visitas institucionais aos órgãos ligados à área de segurança pública do país. Nesta quarta-feira (2), os parlamentares têm encontro com o Diretor Geral da Polícia Federal, Luiz Fernando Correa, às 9h, na sede da PF.

Segundo Pimenta, a conversa servirá para detalhamento das ações da Comissão e para firmar uma forma de trabalho colaborativo, com objetivo de produzir resultados positivos à sociedade brasileira. Pimenta pretende também que a Comissão de Violência Urbana tenha agendas institucionais com o Ministro da Justiça, Tarso Genro, o Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, e o Presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer.

O deputado Paulo Pimenta adianta que na próxima quinta-feira (3) a Comissão vai realizar a primeira audiência pública. Para o debate foi convidado o Secretário Geral do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sergio de Lima. O Fórum Brasileiro de Segurança Pública foi constituído em março de 2006 como uma organização não-governamental, apartidária, e sem fins lucrativos, cujo objetivo é construir um ambiente de referência e cooperação técnica na área de atividade policial e na gestão de segurança pública em todo o País.

A CPI da Violência Urbana foi instalada em agosto e é uma das principais comissões da Câmara dos Deputados nesse segundo semestre de 2009. A CPI será baseada na abordagem da “epidemia do Crack”, que tem no consumo da droga ligação direta com o crescimento da violência, e na proposta de melhores condições de trabalho aos profissionais de segurança pública e agentes penitenciários. O objetivo da Comissão é apresentar um modelo de política de segurança pública para Brasil, criando um sistema de financiamento, com a finalidade de estipular uma base de orçamento para investimentos na área.”

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo