CulturaHistóriaSegurança

LINDO. E VIOLENTO. Gilson Piber vai à cidade maravilhosa. Mas tem o outro lado

“…No feriado do dia 12 de outubro, o jeito foi encarar um chope (R$ 4,70) e uma água de coco (R$ 3,00) na Praia de Copacabana. Tudo muito lindo, e muito caro também. A ida ao Shopping da Barra foi outro investimento salgadinho para o bolso, mas não teve jeito. É impossível não se molhar quando se está na chuva.

O Rio de Janeiro, cidade-sede da Olimpíada de 2016, continua lindo e maravilhoso, principalmente na zona sul. Nas demais regiões, a situação não é a mesma. A violência está nas ruas, e o tráfico de drogas e a prostituição correm soltos, inclusive em Copacabana. Eu vi, ninguém me contou. Pelo rádio, ouvi que uma bala perdida atingiu e matou um senhor que jogava cartas com o filho na zona oeste. Em São Conrado, um assaltante levou a pistola de um policial em serviço…”

CLIQUE AQUI para ler a íntegra do artigo “O Rio de Janeiro segue lindo e… violento,  escrito por Gilson Piber, jornalista, radialista e professor do curso de Jornalismo da Unifra. É, também, mestre em Ciências da Linguagem pela Unisul (SC). Piber é colaborador semanal deste sítio. Ele foi postado há instantes, na seção “Artigos”. Boa leitura!

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo