Artigos

Gosto se discute – por Máucio

Desde criança a gente cresce ouvindo que gosto não se discute; no entanto nós passamos a vida inteira discutindo-o. Uma parte das pessoas, na verdade, adere a essa máxima e, mais do que isso, ao longo da vida passa a não dar muita importância para essa questão. Gosto tem a ver com gostar e, ao contrário que muitos pensam, se pode discuti-lo e até entendê-lo.

De uns anos pra cá começou a reaparecer no mercado, com mais freqüência, a oferta de goiabas nas fruteiras e nos supermercados. De início até que resisti à compra, porque achei falta da árvore que na minha infância acompanhava sempre o ato de comer essa fruta. Achei-as ali estranhas, fora de contexto.

Dali a um tempo mudei de ideia e comprei algumas… duas ou três. Ao chegar em casa fiquei bem frustrado quando mordi a primeira, percebi que não eram vermelhas por dentro. Ora, isso não combina com meu preconceito infantil, goiaba tem que ser vermelha!

Um tempo depois encontrei as goiabas de verdade. Notei porque alguém, antes de mim, havia feito o teste da unha – politicamente incorreto – que deixou claro sua cor interior. Comprei então meia dúzia de goiabas vermelhas e levei-as, alegremente, para degustá-las.  Outra frustração terrível, as frutas não eram doces e não possuíam gosto algum. Sim, isso mesmo, totalmente insossas.

Na verdade verdadeira, muitas frutas e legumes comumente encontrados nas fruteiras e quitandas quase não possuem gosto algum. Cenouras não possuem mais gosto de cenoura. Tomates não possuem mais gosto de tomate. Batata não tem mais sabor da batata. E assim por diante.

Os adubos químicos, fertilizantes, hormônios e transgenias em geral retiram quase que totalmente as características organolépticas (fui nessa aula) das frutas e legumes. Sobram só as aparências: o formato, a cor, o tamanho. O gosto da coisa? Tomou doril.

Tente provar um moranguinho de mercado de olho fechado. Perceberás que não fede e nem cheira.  Nem as bananas são mais as mesmas. Para chegarem em condições visuais nos pontos de venda são colhidas verdes e depois são amadurecidas a força.

Como a maioria das pessoas, no entanto, não discute gosto, seguem-se vendendo essas falsas goiabas por todo o lado.  Isso é uma grande marmelada.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Simplesmente PERFEITO!!!!! sinto falta do gosto das frutas da minha infância, principalmente da goiaba (e do pé da goiaba também). Pena q realmente a maioria das pessoas não discute ou debate o gosto das coisas, certo que cada um tem o seu….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo