CampanhaEleições 2010

DEBANDADA. Aliados pensam na própria pele e deixam Serra ao relento eleitoral. Mas isso não é apenas lá

Não se trata de fenômeno incomum. Acontece em toda a eleição em que um candidato majoritário mais atrapalha que ajuda. Isso está acontecendo, de novo, no país inteiro. A vítima do momento é José Serra, candidato do PSDB à Presidência e que começa a ser deixado de lado por seus “companheiros”.

Atenção, ainda que a ênfase desse texto se dá no plano nacional, creia, é algo que também já se esboça no Rio Grande do Sul. Basta que você chegue ao centro da cidade e perceberá. Partido? Pffff. O que interessa sou “eu mesmo”.

Ah, sobre a questão tucana, acompanhe reportagem publicada agora há pouco na versão online do jornal Correio do Brasil. A reportagem merece ser lida até o fim. Ela é bastante didática. A seguir:

 “Aliados abandonam Serra à sua própria sorte na reta final da campanha

Chegada a reta final das eleições, políticos de todo o país passaram a pensar mais na própria eleição do que na campanha presidencial e o resultado é a maior debandada já vista até hoje na história do Partido da Social Democracia Brasileiro (PSDB). Em Minas, Estado que se tornou o fiel da balança para o tucano José Serra, os “santinhos” dos candidatos começam a aparecer com as chamadas “colas”, mas os dos candidatos aliados a Serra não indicam o voto no 45 para a Presidência. A “cola” estabelece a ordem dos candidatos que aparecerá na urna eletrônica.

Em Juiz de Fora, principal cidade da Zona da Mata mineira e domicílio eleitoral do ex-presidente da República Itamar Franco, candidato a uma vaga no Senado por um dos partidos aliados de Serra, o Partido Popular Socialista (PPS), cerca de 1 milhão de “colas” impressas pelo PSDB sairam com o campo reservado para o candidato à Presidência em branco. Foram assinalados apenas os…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

SIGA O SITÍO NO TWITTER

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

2 Comentários

  1. Agora os Institutos de pesquisa vão investigar se a midia grandona ainda serve para alguma coisa quando fabrica denuncias,podem descobrir o que todo mundo já sabe, o povo se guia por outras coisas atualmente.

  2. Mas como cobrar engajamento de aliados, se a Yeda (que, afinal, é do PSDB) sequer pronuncia o nome de Serra, e no seu programa não há nenhuma referência ao candidato?
    Isso me faz pensar: será que ela foi contaminada pela “imparcialidade-ativa” de Fogaça?
    Ou a não vinculação com o candidato é uma estratégia para proteger a imagem da campanha? Se for isso … qual campanha está realmente sendo protegida? A dela ou a dele?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo