ColunaObservatório

COLUNA OBSERVATÓRIO. PT, PMDB, Dilma, Lula e a as lágrimas que eles não choram

Por Marcelo Martins

O PMDB nacional é o pai da corrupção, isso todos sabem. Outra constatação sem receio de se afirmar é que o discípulo que melhor assimilou os ensinamentos do fisiologismo e de todas as políticas nefastas que há de pior na política em Brasília – é o Partido dos Trabalhadores (PT). Os jornais e as notícias estão aí para mostrar. Só não acredita quem é filiado e/ou simpatizante com as duas siglas. Prova disso foi a união dos dois partidos que elegeram Dilma Rousseff e Michel Temer para o comando do país. O loteamento dos cargos públicos já iniciou. O PMDB sedento por cargos públicos quer abocanhar com a voracidade que lhe é própria, o maior número de estatais e cargos de primeiro escalão que permitam trânsito livre por órgãos chave da administração federal. Assim é o PMDB, um partido que traz em seu DNA os genes das práticas mais vexatórias da má política. Aquele PMDB do único nome glorioso da sigla, Ulysses Guimarães, sempre flertou com o poder. Exemplo dessa proximidade com quem está no poder pode ser lembrado na época do então MDB. O partido conviveu muito bem com o Arena – em um jogo de faz de conta sórdido em que as duas siglas fingiam a existência de uma democracia, nos tempos do cárcere da ditadura imposto pela turma da caserna (1964-1985).

Mais uma vez PT e PMDB estão novamente lado a lado. Só que agora o cenário não é o de palanque, com frases bonitas e promessas de um país mais isonômico e fraterno. A tragédia, já anunciada do Rio de Janeiro, que ainda está vitimando o país tem nesses dois partidos grande parte de culpa. A então ministra Dilma Rousseff, com sua notável capacidade de gerenciamento e com seu perfil técnico, certamente muito pouco pôde fazer para ajudar aos cariocas. O motivo? Ela ao contrário do seu antecessor sempre foi uma profissional em busca de resultados – e não se fala em “retorno” eleitoral. O presidente Lula, como sempre disse, apenas esteve na condição de presidente. De Lula, pouco para não dizer nada, podia-se esperar. Lula e Sérgio Cabral são os nomes responsáveis por essa hecatombe. Esse último preocupou-se em trazer um sem-número de verbas públicas para a Copa de 2014 e para a Olímpiada de 2016 para a Cidade Maravilhosa. A incessante busca por projeção do seu próprio nome fez com que o governador esquecesse a população das áreas de risco, que mal sabiam que o relógio já corria para uma tragédia anunciada.

O resultado da negligência dos governos federal e estadual é o que se está vendo nos noticiários. Os cariocas e os brasileiros assistem perplexos as cenas de desespero que desolam a todos. O choro dos cariocas pela morte de mães, pais, filhos, esposas é o choro de toda uma nação. Centenas de vidas ceifadas pela omissão do poder público. A falta de planejamento de sucessivas administrações do governo carioca associada a uma União omissa somadas à imprudência de uma população que busca a todo custo um canto para viver e erguer sua casa propiciou uma das maiores tragédias já vistas por esse país.

Em nome da modernização e da inserção do país na rota do desenvolvimento foi criado pelo ex-presidente Lula o propalado e hoje famigerado Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O programa que até hoje não decolou já ganhou várias edições. A promessa de levar infraestrutura virou rota para partidos políticos buscarem o comando dessa fonte de dinheiro público. Para que o PAC não se torne paquidérmico espera-se que a presidente Dilma Rousseff demonstre mais uma vez sua capacidade de gerenciamento e seu perfil técnico. Só assim poderemos acabar com triste epígrafe atribuída ao historiador francês, Jean Delumeau que disse certa vez que “o brasileiro não tem medo do fim do mundo, tem medo é do amanhã”.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

10 Comentários

  1. “O PMDB nacional é o pai da corrupção, isso todos sabem. Outra constatação sem receio de se afirmar é que o discípulo que melhor assimilou os ensinamentos do fisiologismo e de todas as políticas nefastas que há de pior na política em Brasília – é o Partido dos Trabalhadores (PT).” Se o PMDB e PT são isso tudo, não quero nem imaginar o que o Marcelo pensa sobre os tucanos do PSDB hahahaha… Achei o texto um pouco sensacionalista, vazio, acredito que as coisas não são bem por aí a verdade é que NINGUÉM governa sem o PMDB de aliado e o PT enfrenta alguns desgastes que é natural de quem está no poder há alguns anos, mas generalizar não ficou legal. Nem todos os quadros do PMDB são corruptos, assim como nem todos os quadros do PT são praticantes da tal “políticas nefastas” originadas em Brasília.

  2. Boa tarde.
    Pois eh Dona Rose, espero seu comentário a respeito do assunto, nesse o Adroaldo ainda não entrou, antes que ele entre e fuja do tema, quem sabe vc diz alguma coisa a respeito. Será que você faz parte dessa turma que o Marcelo Martins se refere. “Só não acredita quem é filiado e/ou simpatizante com as duas siglas.” Para o meu deleite? menos dona Rose, não seria para o desespero da cumpanherada? Acredito que ainda existam alguns que não fazem como os avestruzes. Na verdade continuo esperando os comentários da tiurma a respeito para depois dizer oque penso. Penso que esse post ficará com poucos comentários, tal qual o do Salário Mínimo da Dilma/Lulla.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo