EconomiaNegóciosTrabalho

FOI CONDENADA. Walmart (leia-se Big e Nacional) trata seus funcionários como “bonecos e servos de gleba”

Não precisa ser muito esperto. Basta consumir num dos supermercados da rede Walmart. Em Santa Maria, lojas do Big e do Nacional, controladas pelos ianques. Seus funcionários se esforçam (e conseguem) ser gentis. Mas a sensação é de que estão sempre no fio da navalha. Vale para qualquer posição hierárquica.

Estará o editor exagerando? É? Então olha só o que aconteceu em São Paulo, a partir de decisão da Justiça do Trabalho. E depois tira a tua própria conclusão. O material está no Espaço Vital, sítio especializado em questões jurídicas. A seguir:

 “Tem que rebolar no supermercado…

A Justiça do Trabalho confirmou, em segunda instância, a condenação da Walmart, maior rede varejista do mundo, por ter feito um ex-diretor rebolar enquanto entoava o grito de guerra da empresa. A decisão da 10ª Turma do TRT de São Paulo, manteve a sentença de primeira instância e condenou a multinacional norte-americana a pagar reparação por danos morais arbitrada em R$ 154 mil para o executivo Eduardo Grimaldi de Souza, 40 de idade. Ele foi funcionário do Walmart de 2000 a 2009. A empresa informou que vai recorrer ao TST.

Na abertura e no final das reuniões, uma espécie de hino motivacional era entoado. Num trecho da música – “Me dá um W, um A, um L, me dá um rebolado” – todos tinham de fazer o movimento. Quem não rebolava convenientemente, era levado diante dos colegas para fazer o movimento de forma isolada – o que ocorreu com Souza mais de uma vez.

O juiz de primeiro grau já havia reconhecido que o executivo foi alvo de danos morais ao ser obrigado a passar pelo vexame. O magistrado Diego Cunha Maeso Montes afirmou que o ato do Walmart  “é medieval e a empresa tratou os funcionários como bonecos e servos da gleba, que mudos e calados, devem se submeter a todo tipo de ordens e caprichos de seu dono…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

SIGA O SITÍO NO TWITTER

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

4 Comentários

  1. Não precisa hino motivacional. Paga o merecido e trata feito gente. Terão os funcionários sempre motivados e felizes.
    Ah, Claudemir, a impressão de que os funcionários estão sempre a ponto de um colapso nervoso não é só tua não.
    Até quando vai isto???

  2. Aqui em Santa Maria também é assim. O MAXXI, que é da rede Walmart, também pratica essa pajelança diariamente, por volta do meio-dia. Já ouvi várias vezes. Eles querem o corpo e a alma dos “colaboradores”.
    Pior que isso é a prática dessa rede que, sem o conhecimento dos empregados, contrata altíssimos seguros de vida no nome deles, com o Walmart de beneficiário. Geralmente quando a pessoa já está doente. Então fica torcendo pela morte do infeliz pra embolsar o seguro. Isso já virou até processo judicial e documentário que está na Internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo