CongressoPartidosPolítica

FIM DA LINHA? De paladino da ética e pré-candidato em 2014, demo Demóstenes tem cabeça pedida pelos próprios companheiros

A coisa está mesmo feia para Demóstenes Torres, ferrenho discursador contra malfeitos e que foi pego, literalmente, de cuecas, por investigação da Polícia Federal. Mas, pior, meeeesmo, é ver seus próprios companheiros pedirem sua cabeça. Aliás, o DEM (que se desmilingue cada vez mais) projeta tratar do assunto, a eventual expulsão de seu senador, em reunião na próxima terça-feira.

Mas, o que está mesmo acontecendo com o demismo, nesse episódio? Quem trata do caso, e traz mais detalhes da situação do senador de Goiás, é o jornalista Josias de Souza, da Folha de São Paulo. Acompanhe:

Para colegas do DEM, renúncia ao mandato é o único caminho que restou a Demóstenes Torres

O futuro político de Demóstenes Torres é considerado sombrio pelos próprios companheiros de partido do senador. Dissemina-se no DEM a avaliação de que Demóstenes tornou-se uma cassação esperando para acontecer. O blog conversou com três partidários de Demóstenes (DEM-GO). Para evitar constrangimentos, pediram anonimato. Expressaram uma mesma opinião. Acham que não resta ao colega senão a opção de renunciar ao mandato de senador.

Avaliam que, permanecendo no Senado, Demóstenes apenas prolongará o suplício, expondo-se a um processo desgastante e inútil. Afora a cassação, tida como inevitável, prevê-se que o senador será desligado da tomada do DEM. “O partido terá de expulsá-lo, sob pena de se desmoralizar”, disse um dos entrevistados. “Se o Demóstenes não renunciar, vai ter de se humilhar perante senadores que criticou. Gente como o Sarney e o Renan”, disse outro.

Demóstenes foi implacável com José Sarney e Renan Calheiros nas crises que tisnaram as presidências de ambos no Senado. Cobrou o afastamento de Sarney em 2009. E o de Renan em 2007…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

SIGA O SITÍO NO TWITTER

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

2 Comentários

  1. Boa noite.`
    Pegaram o Senador, dizem que de perto niguem é normal. O Demostenes era a seriedade em pessoa, tal como outros que foram pego com a mão na Butija. Rua pra ele. Concordo com Luis o nobre Editor as vezes esqueçe de colocar aqui assuntos Nacional de suma importância, tais como o caso dos Ministros defenestrado pela Dilma, com muita demora, após denúncias da Veja. Claro que não quero pautar o Editor, mas gostaria de dar pitaço também em casos semelhantes aqui no Blog.
    (NOTA DO SÍTIO – A Esquina Democrática, se o leitor se der ao trabalho de abrir o arquivo entenderá, é exatamente para isso. Para que os leitores possam trazer outros assuntos, eventualmente não tratados – por falta de tempo ou até por juizo equivocado ou por qualquer outra razão – pelo editor. O título, como diz o texto sempre colocado na “Esquina” é meramente indicativo)

  2. Claudemir:

    Parabéns pela celeridade em “ecoar” a matéria do sempre bem-informado Josias de Souza sobre o “paladino dos pés de barro” Demóstenes Torres.
    É sempre bom que este tipo de assunto seja exaustivamente multiplicado, para que tenhamos conteúdo para formar posição crítica em relação aos desmandos dos agentes públicos.
    Pena que as vezes temas de relevância tão grande ou até maior escapam à tua vigília em busca da informação relevante, como a matéria do Diário de Santa Maria de 28/03, cujo teor reproduzo abaixo:

    “O Estado foi condenado a pagar indenização milionária à empresa Santa Maria Rodovias, responsável pelo polo rodoviário de Santa Maria durante o período de privatização das rodovias federais, no final dos anos 90. A decisão da 22ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado prevê o pagamento de R$ 10 milhões (valores da época, ainda não corrigidos). Em 1999, a empresa, de Minas Gerais, ingressou na Justiça pedindo a rescisão do contrato com o governo de Olívio Dutra (PT) por descumprimento de contrapartida, mais indenização pelo investimento e pela previsão de lucros que teria com os pedágios – cuja concessão vai até 2013.

    Na época, a empresa mineira assinou contrato para administrar 256,20 quilômetros das BRs 158, 287, 392, a partir de Santa Maria, e 290, a partir de São Sepé. Para isso, em 1999, a concessionária teria investido R$ 7 milhões em sinalização e recuperação das estradas, mas parou as obras alegando que o Estado não deu a contrapartida determinada pelo contrato. Segundo a Justiça, o governo gaúcho inviabilizou economicamente o polo e, por isso, deve pagar a indenização e assumir a conservação das estradas. O Estado pode recorrer.”

    O caso Demóstenes é importante, mas sugiro que abra um tópico para ouvirmos a opinião das pessoas sobre este outro assunto.

    Eu, que uso a estrada para Porto Alegre pelo menos uma vez a cada 15 dias (diferente de muitos, inclusive o blogueiro, que certa vez admitiu em seu programa de rádio que quase não viaja a Porto Alegre e que a última vez que tinha ido era de carona) e acho bom o custo de R$ 6 reais em cada pólo (R$ 24 ida e volta), fui prejudicado pela ausência de uma rodovia em boas condições, pois à época do governo Olívio tive 2 pneus estourados e uma roda de liga-leve quebrada em buracos do trecho que seria privatizado (Santa Maria/Paraíso do Sul) que me custaram mais de R$ 1.500,00 (fora o transtorno).

    Fica aqui, então, a sugestão do leitor.

    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo