Artigos

1977, a 8ª Convenção Estadual Lojista em Santa Maria – por Carlos Costabeber

Em 1973 retornei a Santa Maria, depois de concluir o mestrado na Fundação Getúlio Vargas de São Paulo. E de imediato reassumi minha cadeira no Curso de Administração da UFSM, e estreei no segmento automotivo, ao me tornar Diretor Administrativo da Uglione.

Desde a chegada, coloquei em prática os aprendizados de marketing, e comecei a “agitar” a cidade e os negócios.

Em razão disso, em 1976 (e com apenas 27 anos de idade), fui convidado para assumir a Presidência do CDL (quebrando uma tradição de ter Presidentes bem mais velhos). E assumi com uma missão muito difícil pela frente: organizar a 8ª Convenção Estadual do Comércio Lojista, que seria sediada em Santa Maria de 21 a 23 de abril do ano seguinte (1977).

O maior obstáculo para o sucesso do evento era a falta de estrutura hoteleira.

Mas, graças ao idealismo de um grupo de lideres empresarias como Pedro Saccol, Paulo Danesi, José Moacir Teixeira, meu pai Cirilo, entre outros, o ITAIMBÉ PALACE HOTEL estaria pronto para receber os convencionais.

Outro desafio foi tentar trazer, para a solenidade de abertura, o então Vice-Presidente da República, o gaúcho General Adalberto Pereira dos Santos (cujo irmão, o saudoso Danton Pereira dos Santos, era o Secretário do CDL na época).

Lembro que o slogan dos CDLs era “Unidos Servimos Melhor”. Então coloquei um pouco de criatividade, e o slogan da 8ª  Convenção foi “Organizados Servimos Melhor”.

Graças a um bom trabalho de divulgação, trouxemos 600 lojistas para Santa Maria, o que foi um recorde até então.

E de fato, e à última hora, se confirmou a presença do Vice-Presidente, e tivemos de nos enquadrar nas rígidas  normas de segurança da Presidência da República. Foi um corre-corre, pois todos os convencionais passaram pelo crivo do SNI (Serviço Nacional de Segurança), os alimentos que seriam servidos no jantar foram fiscalizados com antecedência, e só eu e o Prefeito Osvaldo Nascimento poderíamos receber o Vice-Presidente na Base Aérea. Lembro ainda que ele se hospedou no apartamento do mano Danton, e todo o condomínio foi inspecionado e fechado para os não moradores. Imaginem a confusão!!!!

Mas. apesar dos transtornos da importante visita, a nossa Convenção ganhou uma dimensão muito acima do previsto; ao ponto do Presidente da Confederação dos CDLs (Rio de Janeiro) me falar, que eles nunca tinham conseguido levar uma autoridade desse nível em nenhuma convenção nacional dos lojistas.

Já o jantar de abertura foi no  recém inaugurado Itaimbé Palace Hotel, no salão do “Le Quatre Seasons”. Sucesso absoluto! O Itaimbé, “novinho em folha”, fervilhava de gente e de elogios.

Nos dias seguintes utilizamos como sede do evento o Clube Comercial; além da SUCV, onde se realizou da Convenção Feminina Lojista (outro “peitaço”).

O encerramento foi marcado por um grande jantar dançante, também no Clube Comercial.

Tenho ainda na memória que quando deitei na cama, depois do baile, pude finalmente “tirar das costas” o enorme peso que havia carregado até então.

Missão cumprida !

Para mim, foi uma experiência fantástica, pois ainda era um guri, e já estava presidindo uma grande convenção da categoria.

Muitos colegas da minha geração certamente ainda têm na memória aqueles momentos que nunca mais se registraram em Santa Maria. Entre eles estão os amigos Augusto Mânica, Cezar, Pio e João Previsan, Rafael e Guido Isaia, entre outros.

E entre os parceiros daquela época, estão os saudosos Achiles Segala, Ruy Ramos, Angelo Rizzato, Alcides Manica, Pedro Saccol, os irmãos Ugalde, entre tantos. Devo muito à essa “velha guarda” do lojismo local, pelo apoio, confiança e experiência que me passaram.

Eu adorava aquela turma; sempre unida e trabalhando pela comunidade.

Assim, há 35 anos atrás, Santa Maria sediava a maior de todas as convenções estaduais lojistas. Uma realização que marcou época por oferecer propostas inéditas, e com inesquecível repercussão nacional.

Bons tempos!

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo