ECONOMIA SOLIDÁRIA (32). Feiras encerram com público recorde: 170 mil visitantes, segundo a Brigada

ECONOMIA SOLIDÁRIA (32). Feiras encerram com público recorde: 170 mil visitantes, segundo a Brigada - eco-sol-fim-público

Um público considerado extraordinário foi ao Terminal Dom Ivo, conforme números da BM

Por Maiquel Rosauro, da Assessoria de Imprensa do Projeto Esperança

ECONOMIA SOLIDÁRIA (32). Feiras encerram com público recorde: 170 mil visitantes, segundo a Brigada - eco-sol-fim

Irmã Lourdes Dill (com Antonio Gringo, no encerramento): meta para 2013 é 200 mil visitantes

A expectativa se torna realidade, Feira de Economia Solidária tem público recorde

A 8ª Feira de Economia Solidária do Mercosul e 19ª Feira Estadual do Cooperativismo (Feicoop) superam todas as expectativas. Os eventos que tiveram início na sexta-feira no Centro de Referência em Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter, em Santa Maria, alcançaram um público recorde. Segundo a Brigada Militar, 170 mil pessoas passaram pela Feira nos três dias de evento. Além disso, nenhuma ocorrência policial foi registrada.

A expectativa inicial era de 160 mil visitantes, número que já seria superior ao público de 2011, quando 151 mil pessoas passaram pela Feira. Na cerimônia de encerramento, também foram divulgados os número atualizados do evento.

A Feira contou com 830 grupos de expositores provenientes de quatro continentes, 15 países (Argentina, Uruguai, Paraguai, Chile, Peru, Equador, Nicarágua, Alemanha, República Tcheca, Bolívia, Brasil, Senegal, Estados Unidos e Portugal) e de 27 Estados brasileiros (478 municípios). Mais de 500 jovens participaram do 8º Levante da Juventude.

Já prevendo o aumento de público, a estrutura montada no Centro de Referência em Economia Solidária foi ampliada. Este ano, foram utilizados 20 mil m² de área coberta, contra os 17 mil m² de 2011. O Colégio Estadual Irmão José Otão e os fundos do Parque da Medianeira também receberam atividades.

Os visitantes encontraram 7,5 mil produtos e também atividades culturais, ambientais, autogestionárias e educativas. Estiveram presentes agricultores familiares, quilombolas, catadores, povos indígenas, artesãos, educadores, artistas e gestores públicos.

Além de ser um local de comercialização, a Feira foi um espaço de trocas de ideias e experiências que serão levadas de Santa Maria para o mundo. Dezenas de oficinas e seminários foram realizados no Colégio Irmão José Otão e nos lonões no Parque da Medianeira.

Se este ano a Feira se consagrou pela sua dimensão, espera-se ainda mais no próximo ano. O 2º Fórum e 2ª Feira Mundial de Economia Solidária serão realizados entre os dias 11 e 14 de julho de 2013, em Santa Maria, junto à Feira de Economia Solidária do Mercosul.

– Nossa meta para 2013 é ter um público total de 200 mil pessoas, 50 países e todos os continentes representados. Então, mãos a obra! – disse a irmã Lourdes Dill, coordenadora do Projeto Esperança/Cooesperança, durante o ato de encerramento da Feira.

Vale ressaltar que durante a cerimônia de abertura, na sexta-feira, o secretário estadual de Economia Solidária e Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sesampe), Maurício Dziedricki, anunciou o investimento de R$ 600 mil para ampliação do Centro de Referência em Economia Solidária. Ou seja, uma estrutura ainda maior deverá receber os visitantes da maior feira de Economia Solidária da América Latina em 2013.

Promotores do evento

A Arquidiocese de Santa Maria, através do Projeto Esperança/Cooesperança, setor vinculado ao Banco da Esperança da Cáritas Arquidiocesana de Santa Maria e da Prefeitura Municipal de Santa Maria, conta com muitos apoiadores, entidades, movimentos sociais e pastorais sociais.

Patrocinadores

Sebrae Nacional, Petrobrás, Cáritas-RS, Sicredi, Secretaria Nacional de Economia Solidária (Senaes) do Governo Federal, Fundação Banco do Brasil, Governo do Estado do Rio Grande do Sul (através da Sesampe, SDR, Irga, BDRE e Banrisul) e Prefeitura Municipal com apoio e serviços de várias secretarias.

Apoiadores

Saema, Fórum Brasileiro de Economia Solidária (FBES), Cáritas Brasileira, Instituto Marista de Solidariedade (IMS), Colégio Estadual Irmão José Otão, Paróquia da Medianeira, todas as entidades que emprestam algum material para organizar os eventos, veículos de comunicação de Santa Maria e outros lugares, Estados brasileiros e países do Mercosul, Movimentos e Pastorais sociais, UFSM, Unifra, consumidores e muitas outras entidades e organizações.”

 

 



1 comentário

  1. Lourdes Dill

    Prezado Claudemir!

    Agradeço muito em nome Projeto Esperança/Cooesperança e nome de todas as
    Comissões pela generosa divulgação dos Eventos
    Internacionais de Economia Solidária.
    Nos próximos dias farei uma carta de agradecimento a todos.

    Agora resta colocar tudo em dia e abrir horizonte para os Eventos de 2013.
    2ª Fórum e 2ª Feira de Economia Solidária de
    11 a 14 de julho de 2013.

    Saudações fraternas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *