CidadaniaPolíticaPrefeituraSanta MariaTragédia

INQUÉRITO. Em dia de protesto, Arigony vai à TV e explica versão policial para responsabilizar Schirmer

Na protesto, familiares e palavras de ordem contra Schirmer (foto Fritz R. Nunes/Sedufsm)
Na protesto, familiares e palavras de ordem contra Schirmer (foto Fritz R. Nunes/Sedufsm)

Uma MANIFESTAÇÃO pedindo Justiça, e também cobrando, vamos dizer assim, o prefeito Cezar Schirmer, marcou o final da tarde de segunda, na Praça Saldanha Marinho, em frente ao Palacete da SUCV.

A quantidade de presentes ao ato varia conforme a fonte: para a versão online do Diário de Santa Maria, foram cerca de 250. Conforme reportagem do portal Bei, 300. Já para a assessoria de imprensa da Seção Sindical dos Docentes, seriam CENTENAS de pessoas. Já o portal Terra, cravou “cerca de 200 manifestantes”.

Bueno, de todo modo, era mais gente do que muitos imaginavam, para uma articulação que começou no final de semana, nas redessociais, especialmente no feicebuqui. E, para a prefeitura, que divulgou nota oficial no início da noite, foi um ato “POLÍTICO-PARTIDÁRIO”  – fazendo publicar o ofício assinado pelo dirigente do PSOL, Tiago Aires.

Enfim, seja o que for, não há dúvida: existe tensão no ar de Santa Maria. E que teima em não desaparecer. Afinal, foram 241 jovens mortos e 623 feridos, como relata o inquérito policial enviado à Justiça na última sexta-feira.

A propósito, bastante criticado pelo governo municipal, com Cezar Schirmer tendo considerado tratar-se de “aberração”, o inquérito e a responsabilização do prefeito foram defendidos pelo delegado regional de polícia, Marcelo Arigony, em entrevista para a RBS-TV. Sobre isso, e também outras informações, confira o material publicado pelo portal Terra. A seguir:

Kiss: delegado reclama de críticas movidas por ‘interesse partidário’

O delegado regional de Santa Maria (RS), Marcelo Arigony, rebateu nesta segunda-feira as acusações do prefeito Cezar Schirmer (PMDB) a respeito da existência de motivação política na inclusão do chefe do Executivo municipal no inquérito que investiga o incêndio na Boate Kiss.

Em entrevista ao Jornal do Almoço, da RBS TV, Arigony se disse “muito triste de ver pessoas com nítido interesse partidário criticando a situação”. “Imediatamente nós colocamos o relatório na internet para o escrutínio de todos. E agora nós vamos digitalizar todo o inquérito e colocar também, para que todos escrutinem e vão ver que todos os atos dentro do inquérito policial foram praticados com a mais absoluta isenção, imparcialidade e regularidade”, afirmou o delegado.

Segundo Arigony, o prefeito não foi incluído no inquérito pela responsabilidade de escolher os secretários e funcionários, e sim por contradições entre o seu depoimento à Polícia Civil e a resposta da prefeitura a um ofício do Ministério Público. “O indiciamento do prefeito veio porque ele foi oficiado diretamente, foi oficiado na pessoa dele pelo Ministério Público, dentro do inquérito civil, perguntando sobre a boate. E a prefeitura respondeu que a licença da boate estava vencida há seis meses. A partir desse fato, o prefeito municipal não pode mais sustentar a versão dele, de quando prestou depoimento, dizendo que nada sabia sobre a estrutura da prefeitura, nada sabia sobre os seus fiscais, nada sabia sobre a legislação”, criticou o delegado.

“O prefeito não pode mais dizer que eles não têm responsabilidade. Essa conduta omissiva ou negligente contribuiu, sim, para o resultado. Se a prefeitura neste momento tivesse fiscalizado essa casa, ela estaria nos dias 26 e 27 (de janeiro) fechada ou teria se adequado à legislação”, completou. Arigony ainda afirmou que a prefeitura dificultou o acesso a documentos referentes à Boate Kiss. “Os setores dentro da prefeitura não se comunicavam. O fato mais grave: nós…” 

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

9 Comentários

  1. é impressionante o documento q o delegado mostrou na tv /// realmente o trabalho da polícia foi exemplar /// como ignorar um documento daqueles? /// parabéns ao delegado arigony e equipe ///

  2. Impresionante quando as pessoas são ou se fazem de ceguinhas. O Sr. Ferraz ainda vê a RBS como adversária do seu PT. Como diria a Mestra Alda Olivier, ele ainda não sabe que eles (RBS e PT) hoje são FARINHA DO MESMO SACO !!!!!A pelegada como diziam nos velhos tempos nesta hora se esbalda para prestar conta à seus chefes !!!!

  3. essa motivação que o delegado encontrou, de todas as posspiveis é a mais fraca. Baseado num ofício de 2011, respondido por um secretário, o cara quer responsabilizar o prefeito???
    Melhor seria responsabilizar o prefeito por nomear quem nomeou…
    Se isso sobreviver ao MP, não sobrevivi no TJ…
    que ridículo.

  4. Monsieur Borreau está aqui para partidarizar, partir e partilhar.
    A bandeira de Borreau é anarquista, a prova disto é que já foi taxado de tudo, e nesta ânsia de taxar as pessoas se atrapalham. menos Jaci, pois este ataca tudo e todos, o que estiver errado e puder provocar mais caos, melhor.
    Assim a cada taxação, Borreau se borra de alegria, cumpriu o desejado. Grato. Quem acompanha Jaci sabe que ele não perdoa ninguem, por exemplo, neste inquérito queria que a a Dilma fosse citada, pois o Ministério do Trabalho foi omisso ao proteger os trabalhadores da Kiss…

  5. A resposta do Secretário de Meio Ambiente foi do tempo em ele era TUCANO. PSDB! Logo naquela época o PSDB fazia parte da administração!
    O PSDB será ou está solidário com seu secretário?
    O incendio pode ter sido na gestão do Schirmer sem PSDB, mas os alvarás dados e vencidos foi com gestão compartilhado com PSDB.
    Lembrem disto!

  6. Com isso temos dois documentos e uma contrariedade. Logo, o indiciamento do prefeito foi correto. Portanto, deve responder, sim, pelos seus atos. Assinou, não leu, o pau comeu! (mais ou menos isso).

  7. Informações desencontradas. Muitos interesses políticos. A verdade é que o delegado tenta demonstrar que a prefeitura era uma esculhambação. Aí ele pede informaçãos sobre a boate e recebe notícia de que faltam documentos. Busca e apreensão. Acham-se documentos importantes. O prefeito não foi procurar a papelada pessoalmente, deve ter mandado ofícios. Existem três alternativas: a prefeitura é desorganizada, ninguém lembrou que existia documentos lá; alguém sabia da existência da papelada e omitiu intencionalmente para denunciar depois; a prefeitura resolveu omitir e deixar lá para sumir com eles depois. O relatório não esclarece o assunto.
    Secretaria de meio ambiente cuida do lixo e do barulho. Existe o famoso inquérito civil, participação do MP, etc. Pergunta: se estivesse tudo certo com o lixo e o ruído, impediria o incêndio? Adiante, o MP oficia o prefeito (o fluxo também não está claro no relatório) que manda para a procuradoria. A procuradoria entra em contato com o secretário de meio ambiente que responde que a licença está vencida (deveria ter tomado providências)à procuradoria. A informação voltou ao prefeito? Relatório não esclarece. Por outro lado, existem declarações que insinuam crime eleitoral (fazer campanha não é crime, mas prestação de contas de candidato é pública)e nada é mencionado (ainda posso estar errado a respeito disto). Um secretário de controle e mobilidade embargou a boate (que continuou funcionando). Técnico. Outro secretário da mesma pasta disse que não era atribuição dele. Político. Problema, a menos que tenha sido alterada a legislação. Um dos dois pode ter cometido ilegalidade.

  8. Claudemir
    A conclusão é que tem muita gente neste caso que não sabe ler. Está no relatório página 77. Se o Tarso tivesse recebido ofício com igual teor e não tivesse tomado providências, certamente estaria incluído nos indiciados.
    Se foi o prefeito quem respondeu o ofício ou não, se foi um assessor que redigiu e colocou naquelas pilhas de documentos que o gestor tira um dia especial para assinar e passou batido, é tudo com eles. O que importa é que a prefeitura foi oficiada e deu a resposta que deu, sem tomar providências.
    Outra coisa:
    Quem pediu a opinião do Marquezan Jr. sobre o caso? Para desespero dele, ATÉ a RBS rasgou elogios ao relatório e quem é gaúcho sabe o significado disto.
    Deputado, já que tu só lembra de Santa Maria na hora da eleição, nos erra, nos esquece.
    Este deputado disse que o relatório foi pirotecnia. Deputado, pirotecnia foi o que gente da tua iguala fez durante anos para manter esta boate em funcionamento em troca de… bueno, as investigações irão dizer.
    Pirotecnia é o que tu, deputado, está fazendo na busca gratuita do voto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo