CongressoSanta MariaTragédia

JÁ EM BRASÍLIA. Comissão ouve advogado de Kiko. E na quarta, a vez é dos delegados Arigony e Meinerz

Se os horários forem devidamente cumpridos, enquanto em Santa Maria estiver terminando a entrevista coletiva dos Promotores de Justiça (leia nota anterior, logo abaixo), com detalhes da denúncia (e quem será denunciado) que levará alguns à condição de réus, em Brasília se reúne a comissão que discute parâmetros nacionais mínimos de segurança e prevenção de incêndio.

A, digamos, estrela da reunião deve ser o advogado Jader Marques, defensor de Elissandro Spohr, o Kiko, provável denunciado pelo MP. E, na quarta-feira, a vez será dos delegados Marcelo Arigony e Sandro Meinerz, que coordenaram o trabalho policial que redundou no inquérito analisado pelo Ministério Público.

Os três foram convidados a depor por sugestão do deputado Nelson Marchezan Júnior. Ah, os detalhes de tudo isso e das funções da Comissão chegam através da assessoria de imprensa do deputado Paulo Pimenta, coordenador do grupo de trabalho. Acompanhe:

 “Kiss: Comissão da Câmara Federal recebe advogado de proprietário da boate e delegados responsáveis pelo inquérito

A Comissão da Câmara dos Deputados criada após a tragédia ocorrida na boate Kiss, em Santa Maria, com objetivo de propor uma legislação federal com parâmetros mínimos de segurança e prevenção a incêndios entra na reta final de debates e audiências públicas. Conforme adiantou o coordenador da Comissão, deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), o projeto de lei será apresentado em maio. 

“Após a finalização do texto, vamos mobilizar os parlamentares para que a proposta seja colocada em votação o mais rápido possível”, projeta Pimenta. Entretanto, o parlamentar pondera que o trabalho coleta de informações e sugestões ainda terá colaborações fundamentais até a apresentação do texto final.

Nesta terça-feira (2), às 15h, a Comissão ouve Jader Marques, advogado de defesa de Elissandro Spohr, um dos sócios da Kiss. A presença do advogado foi requisista pelo deputado federal Nelson Marchezan Jr. (PSDB-RS). 

Na quarta (3), os  delegados Marcelo Arigony e Sandro Meinerz, responsáveis pelo inquérito, apresentarão os resultados da investigação e as causas da tragédia.

“A partir do relatório do inquérito, onde ficaram evidentes as falhas que ocorreram e contribuíram para essa tragédia, nós vamos analisar eventuais correções que precisam ser feitas na legislação para que essa situação não volte a se repetir. Porque nós sabemos que muitas casas de espetáculo no Brasil afora têm as mesmas deficiências, do ponto de vista estrutural, e talvez municípios e estados tenham as mesmas falhas de fiscalização, o que nos permite afirmar que o que aconteceu em Santa Maria poderia ter acontecido em muitos outros lugares”, constata Pimenta. 

Entre as medidas em análise pela Comissão para integrar o projeto de lei estão a padronização da sinalização de saída, emergência e lotação; maior rigidez para elaboração dos planos de prevenção contra incêndios (PCCI); obrigatoriedade de seguro para os estabelecimentos, como uma forma de fiscalização do mercado pelo próprio mercado; e uma linha de crédito específica para pequenos empreendimentos adotarem todas as medidas necessárias à segurança dos cidadãos, já que os empresários do setor relatam que muitos estabelecimentos teriam dificuldades financeiras para implementar uma modernização nos padrões de segurança em pouco tempo.” 

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo