Ministério PúblicoSanta MariaTragédia

TRAGÉDIA. Agora, quem fala é o Ministério Público. Relatório da polícia será acolhido, mas não totalmente

Uma preliminar: o Ministério Público não vai se manifestar sobre os nomes apontados pela Polícia Civil, no inquérito divulgado há 11 dias. Vai se referir apenas aos 16 indiciados. Os demais, inclusive o prefeito Cezar Schirmer, com foro privilegiado, e bombeiros, que terão seus casos analisados no âmbito da Justiça Militar.

Os Promotores de Justiça Joel Dutra, Maurício Trevisan e David Medina tratarão dos 16 indiciados pelo inquérito policial. O que inclui, especialmente, os que respondem por crimes de homicídio doloso e culposo, conforme o caso.

São escassas as informações oriundas do Ministério Público. Se é que há alguma. O que existe é um tititi, que pode ou não ser verdadeiro. Fontes com acesso mínimo aos Promotores indicam, com alguma convicção, que o trabalho policial será acolhido na maior parte. Mas não totalmente.

O que isso significa? Quem boa parte dos indiciamentos se transformará em denúncia – seja por dolo ou culpa. E que a Promotoria, em relação a alguns casos, notadamente nos agentes públicos, solicitará novas diligências policiais. Isso tudo, porém, cá entre nós, não passa de especulação.

O certo é que a decisão do Ministério Público será informada à imprensa à 1 e meia da tarde e, logo depois, ao juiz da 1ª Vara Criminal, Ulisses Louzada – que na quarta-feira falará com os jornalistas, provavelmente dizendo se aceita ou não a denúncia feita pelos Promotores.

EM TEMPO: no caso de a denúncia ser aceita, os denunciados deixarão a condição de indiciados e passarão a réus. E aí começa o processo propriamente dito, com audiências de testemunhas, e o estabelecimento do contraditório. Ah, e a possibilidade de recurso contra a decisão do MP. Aguardemos, portanto.

PARA LER O RELATÓRIO DO INQUÉRITO POLICIAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

2 Comentários

  1. Os bombeiros que permitiram que a gurizada entrasse na boate no lugar deles para salvar pessoas e que morreram, devem responder por homicídio doloso (art. 13 do CPB). Se assim forem enquadrados, deverão responder na justiça comum. Os promotores não sabem disso?

  2. Caro Claudemir: O Juiz, antes de aceitar a denúncia deve citar os réus para apresentarem sua defesa preliminar.
    Após isso é que ocorrerá o recebimento ou rejeição da denúncia.
    att.
    Ditmar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo