HistóriaMemória

MEMÓRIA. Morre Augusto Sotero Vinadé

Augusto Vinadé, uma perda para SM
Augusto Vinadé, uma perda para SM

COM CORREÇÕES E ACRÉSCIMOS, À 0h30

A qualquer momento inicia o velório, na capela 1 das salas funerárias contíguas ao Hospital de Caridade (na rua Floriano Peixoto. O esupultamento deve ocorrer na tarde desta segunda-feira. O fato é que morreu noite deste domingo, na sua residência em Santa Maria, o advogado e auditor fiscal aposentado do Ministério do Trabalho, Augusto Sotero Vinadé.

Muito conhecido na cidade, sobretudo por sua atividade e militância, era um sujeito de rara inteligência, com muitas histórias para contar, inclusive do periodo da ditadura – a qual se opunha e, inclusive por isso, era muito visado.

Não escondia jamais o que pensava e, como me contou há pouco o Antonio Candido Ribeiro (o Candinho), que com ele conviveu no curso de Direito, Vinadé foi um dos mentores principais de um jornalzinho, chamado Piripiri, que fez muito sucesso no meio universitário – inclusive por suas posições.

Estamos falando dos anos 60 e 70, época em que respirar era complicado, quanto mais falar e, ainda pior, deixar clara sua posição política, especialmente se contrária ao regime de força.

Vinadé, já aposentado, fazia praticamente sozinho um jornal quase artesanal, “O Ponto”, a partir do prédio em que morava, na rua José Bonifácio e que era distribuído aos condôminos, familiares e amigos. Ele completaria 70 anos em 30 de novembro e deixa a esposa Lilian, as filhas Bibiana, Juliana e Tatiana, além de netos.

EM TEMPO: o editor reconhece que ainda devem existir falhas neste texto. Talvez não poucas. Feito apressadamente, menos para dar a notícia em primeiro lugar, mas sobretudo para informar aos amigos de Vinadé. Que estão convidados, nos comentários, a corrigir todos os eventuais erros e, ainda, preencher as lacunas certamente deixadas. O fato é que se trata de alguém que deixa muita saudade aos democratas. Com certeza absuluta.

EM TEMPO 2: a foto que ilustra esta nota foi feita em junho de 2006, durante gravação do extinto programa Claudemir Pereira Café, do qual Vinadé participou.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

4 Comentários

  1. Olha sou um VINADÉ , não estou puxando para o nosso lado , mas todos os VINADÉS são inteligentíssimos , pois meu pai se chama MANOEL FIRMO SCHROEDER VINADÉ , hoje está com 83 anos , é uma pessoa muito inteligente.
    Fico muito triste com essa perda de um homem sábio , com grandes virtudes .
    Um abraço

    Paulo Vinadé

  2. Lembro dele, como meu Pai ele tb era Auditor Fiscal, que conheci quando ainda não precisa de uma cadeira de rodas, sujeito inteligente e muitissimo prestativo com aqueles que o procuravam, como nós fomos atras de informações que nos seriam e foram úteis. Que a família dele saiba que ajudou a quem não conhecia, simplesmente por ser……….. gente. Meus sentimentos a família.

  3. Claudemir,

    O meu único reparo é que ele faleceu em sua própria residência, na Rua José Bonifácio, Ed. Monte Líbano, onde viveu os últimos anos (quase 20) e por um longo período “editou” o jornal “O Ponto” dirigido aos moradores do condomínio e seus familiares.

    Abraços,

    Leandro. (NOTA DO SÍTIO – gratíssimo pela correção. Como o editor afiançou, havia imprecisões a ser resolvidas. E o leitor colaborou para isso)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo