Artigos

Santa Maria no ComDefesa, quem diria – por Carlos Costabeber

Na última 3ª feira Santa Maria acolheu pela primeira vez uma reunião do Comitê da Indústria de Defesa e Segurança, um órgão da Federação das Industrias do RS (FIERGS).

Essa era uma hipótese inimaginável até então, apesar da forte presença das Forças Armadas em nossa cidade.

Mas, de repente, começaram a acontecer alguns fatos relevantes:

1) A instalação aqui, da fábrica de blindados KMW da Alemanha;

2) A criação da Agência de Desenvolvimento (ADESM);

3) A atitude proativa do Comando Militar do Sul e da 3ª DE;

4) A decisão do Exército de centralizar em Santa Maria o seu complexo de simuladores;

5) O envolvimento pessoal do Prefeito Cezar Schirmer;

6) O convênio assinado entre a UFSM e o Exército para o desenvolvimento de tecnologias de defesa; e

7) A disponibilidade de pessoal técnico altamente qualificado.

Esses se fatores colocaram Santa Maria nos radares da indústria mundial de defesa.

Nesse evento, lá estava uma centena de participantes, entre eles empresários espanhóis, alemães, israelenses, russos e turcos. Além de 11 generais do Exército.

Ponto para Santa Maria!

Sei bem que esse é um segmento complexo da indústria, pois envolve sempre decisões de cunho politico e estratégico.

Sei que as multinacionais querem vender seus produtos e serviços, mas o que Governo brasileiro só está interessado em negócios que envolvam a transferência de tecnologias.

Enfim, é “briga de cachorro grande”!

Mas pela primeira vez na história, Santa Maria “entrou no radar” dessa gente.

Ponto também para a nossa Agência de Desenvolvimento, que está conseguindo articular as forças vivas da cidade.

O que era impensável começou a se tornar uma realidade.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. A instalação da KMW tem a assinatura do ministro da defesa na época da decisão, Nelson Jobim. E tem mais a ver com o Parque Regional da terceira região.
    Segundo notícia do início do ano (RBS): “Será feita a desmontagem de antigos blindados Leopard 1A, que servirão de peças para os 220 Leopard 1A5, comprados do Exército alemão, que também passarão por manutenção.” e “… os planos da KMW preveem, além de manutenção de veículos do Exército e a venda de equipamentos para outros países da América Latina, a produção de um futuro blindado em Santa Maria para venda ao Brasil”.
    Já a atualização das viaturas M113 do exército estão sendo feitas em Curitiba. Tecnologia BAE Systems. Parque da quinta região.
    O complexo de simuladores aqui só faz sentido porque o centro de instrução de blindados está em SM.
    No mais, um monte de boas intenções, nada concreto ainda. Sem entrar no mérito da diferença entre fábrica e montadora, o discurso adotado é sempre “a cidade tem condições”. O que é bem diferente de ter as melhores condições. Parece óbvio, mas existe competição. E não é desprezível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo