ECONOMIA SOLIDÁRIA. Governo do Estado contabiliza R$ 266 milhões em financiamentos

POR MAIQUEL ROSAURO

R$ 266 milhões em financiamentos, sendo R$ 10,7 milhões apenas na região Central do Estado. Estes são números divulgados pela Secretaria de Comunicação Social do Governo do Estado referentes ao Programa Gaúcho de Microcrédito, entre agosto de 2011 e dezembro de 2013. Leia mais na matéria abaixo:

Financiamentos pelo Programa Gaúcho de Microcrédito já chegam a R$ 266 milhões

Um total de 393 municípios do Rio Grande do Sul, porém com abrangência sobre todo o território gaúcho, já possui estrutura e pessoal capacitado para apoiar os interessados em acessar o Programa Gaúcho de Microcrédito (PGM) do Governo do Estado. Coordenado pela Secretaria da Economia Solidária e Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sesampe), desde sua implantação, em agosto de 2011, o PGM liberou aos empreendedores de pequenos negócios R$ 266,6 milhões em 43.198 operações, até o dia 31 de dezembro de 2013.

O Microcrédito financia entre R$ 100,00 e R$ 15 mil a taxas de juros de 0,41% ao mês e prazo de resgate em até 24 meses e tem sido demandado por empreendedores individuais, pela economia popular solidária, pela agricultura familiar, pelos microprodutores rurais, microempresas e artesãos. Pode ser acessado de forma individual ou através de grupos solidários. Os recursos financeiros disponibilizados pelo programa são oriundos do Banrisul e garantidos pelo Fundo de Apoio à Microempresa, ao Microprodutor Rural e à Empresa de Pequeno Porte – Funamep.

Programa
Implementado pelo Decreto Estadual nº 48.164/2011 o PGM tem como foco fomentar e consolidar uma rede operacional formada por instituições operadoras que atuam junto aos empreendedores populares de pequenos negócios, através da oferta de recursos para apoiar atividades produtivas, visando incentivar a geração de trabalho, renda, a inclusão social e a promoção do desenvolvimento local. O titular da Sesampe, Maurício Dziedricki, assinala que o Microcrédito gaúcho, o mais expressivo programa do Brasil na área, destaca-se por ser produtivo e orientado, o que significa afirmar que o tomador recebe dinheiro e assistência técnica, uma prática que reduz o índice de inadimplência.

“O objetivo do Governo do Estado é promover, de forma substantiva, a melhoria da qualidade de vida das populações de menor renda e servir de alavancagem para o desenvolvimento econômico e social de um segmento da população, o empreendedor individual, pulverizando recursos para empreendedores alijados do sistema financeiro tradicional”, destaca Dziedricki.

Ele lembra que o PGM é operacionalizado por 250 prefeituras credenciadas, 13 instituições de crédito, 32 cooperativas e uma sociedade de crédito e conta com 650 agentes de oportunidades, devidamente treinados e capacitados pela Sesampe, que atuam como mobilizadores e transformadores nas localidades atendidas.

Linhas
No âmbito do Microcrédito foram estabelecidas linhas específicas para atender situações emergências ou direcionadas para públicos específicos. Assim foi estabelecido o Microcrédito Projeto Lapidar”, “Microcrédito chuva RS”, “Microcrédito para esportes radicais”, “Microcrédito família brigadiana”, “Microcrédito música”, “Microcrédito motoboy” e “Microcrédito feirantes”.

Regiões atendidas
O balanço produzido pela coordenação do Programa Gaúcho de Microcrédito, em conjunto com o Banrisul, abrange 24 regiões no Estado. Para oito municípios da região Alto da Serra do Botucaraí foram destinados R$ 5,4 milhões em 650 operações do Microcrédito. A região do Alto Jacuí recebeu R$ 2,3 milhões em 383 operações efetivadas em oito cidades. A Campanha foi beneficiada com R$ 3,3 milhões em 526 operações em seis municípios.

Em 23 cidades da região Central foram aplicados R$ 10,7 milhões em 1.894 operações. A Centro Sul contabilizou R$ 8,3 milhões em 1.937 operações em treze cidades. Na Fronteira Noroeste foram investidos R$ 13,4 milhões em 1.759 operações de 19 municípios. Na Fronteira Oeste foram aplicados R$ 4,9 milhões em 1.075 operações em dez cidades.

CLIQUE AQUI para ler a matéria completa.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *