ESQUINA DEMOCRÁTICA. Privatizar serviços públicos essenciais é garantia de um bom retorno à população?

POR MAIQUEL ROSAURO

Garantidas as regras do sítio, de civilidade (a crítica pode ser forte ou não, mas sem ser ofensiva, por favor), você é que decide o assunto, afinal de contas. Ah, e o que está no título é somente uma sugestão. Nada mais.

AQUI NÃO TEM NOTA ALGUMA, SÓ O TEU COMENTÁRIO. APROVEITE!



13 comentários

  1. Kiko

    Pode ser, pois a CORSAN faz o que quer, abre buraco e nao arruma, leva a agua e nao traz o esgoto, … Uma empresa privada poderá ser melhor controlada por PROCON, MP, … Eu nao tenho medo de privatização. Estas concessões por taaaantos anos me assustam.

  2. GEF

    Privatizar serviços públicos essenciais não deveria ocorrer. Problema é que o Estado no Brasil prima pela incompetência. Muitos aspones e muita gente que não trabalha. Concessionários prestam um serviço que é marginalmente melhor que o prestado pelos governos. A boa fé nos contratos públicos foi para o espaço.
    O que seria lucro numa empresa privada vira salário de um bando de políticos incompetentes que, na maioria das vezes, não conseguiram se reeleger.
    E tem a falta de noção também. Nomeia advogados como diretor de obras. Um presidente de estatal vai para a tv e diz que fala de igual para igual com qualquer engenheiro. É sociólogo de formação e não precisa dizer o partido.
    E as estradas pedagiadas? Sem ambulância, sendo que o tempo de atendimento é crítico em acidentes automobilísticos . E o asfalto? As estradas onde não há pedágio estão em piores condições.

  3. Luis

    Claro, numa cidade com a história de SM, muito ligada a viação férrea, todo mundo pode perceber como a privatização no setor melhorou os trens no Brasil.

  4. o vingador

    claro que privatizar faz bem.faz bem aos políticos pois estas empresas privadas são quem financia suas campanhas.

  5. oaranhanegra

    Agora, depois que à CORSAN, liberou os entraves ambientais, construiu, um reservatório com tecnologia (concreto rolado), custo baixo e eficiente.
    A mesma chega, às ETAs sem custos, significativos, (Gravidade). Executou as Redes que nos abastecem.
    Temos uma agua de Qualidade 01, pela parâmetros da ONU.
    O Executivo, inerte, sempre ele, quer VENDER o patrimônio,(só 2 neurônios) já veriam o ABSURDO.
    Patrimônio de todos satamarienses.
    indo ao contrario, da tendência universal.
    Cuidar com esmero o que resta de H2O …
    A situação é bem pior (executivo), muito pior….

  6. jose botesele dutra

    alem de tudo que falaram acima, informo que em todos os municípios onde foi privatizado os serviços além de não estar funcionando bem os municípios tem que indenizar a CORSAN. Mas o principal é SAÚDE da nossa população que vai melhorar sensivelmente com esgoto tratado. CHEGA DE PICUINHAS POLITICAS, POPULAÇÃO EM PRIMEIRO LUGAR. Shirmer esta na hora de governar para o povo.

  7. oaranhanegra

    @GEF
    “E as estradas pedagiadas? Sem ambulância, sendo que o tempo de atendimento é crítico em acidentes automobilísticos . E o asfalto?”
    Leiam, com atenção..à colocação do Editor…. “ABASTECIMENTO E SANEAMENTO”…..
    O Executivo…Negociamos, vendemos..
    Uma dos melhores, Abastecimentos..do Brasil..
    Esta é a questão…pontualmente, colocado..

  8. maslovski

    O problema, se conscientizem, não é a privatização, mas sim a concessão do serviço essencial (transporte, infraestrutura, água, luz, saneamento, etc…) à uma entidade, para a consecução dos objetivos necessários e desejados. Isto baseado em regras determinadas e controle e fiscalização efetivos, por parte do poder concedente. No caso em tela, não interessa a discussão se quem vai executar, se é a Corsan ou a Odebrecht, ou a Shing Ling de Xangai, o importante são os objetivos do contrato. No nosso caso, Santa Maria, a Corsan, como detentora do contrato de CONCESSÃO até hoje não cumpriu com as cláusulas estipuladas no contrato. Como, dizem, a Odebrecht não vem cumprindo nos locais em que ela foi contratada. Ora, nos dois casos, não assiste razão à empresa reclamar. Quanto aos investimentos, tem que ficar claro no contrato que a empresa NÃO tem direito a indenização, pois os investimentos são melhorias necessárias para prestar os serviços (sem elas, não existem os serviços). Além disso, não há ainda jurisprudência estabelecida sobre isso, portanto é uma questão que vai longe. Pode ser renovado com a Corsan? Pode desde que ela se habilite à licitação que obrigatóriamente terá que ocorrer e a vença. Simples assim. Agora, querer garantir o monopólio estatal da Prestação do serviço aí já é demais, apenas para garantir o emprego de dirigentes sindicais obtusos, anacrônicos, incompetentes e acostumados a mamar nas tetas de governos ineficientes e perdulários. Se a Corsan fosse gerida como empresa, teria metade dos funcionários e faria o dobro do serviço. Isso chama-se eficiência. Ela deveria seguir o ecxemplo da finada Embratel, que era uma empresa estatal com eficiência e resultados, derivado do comprometimento de seus funcionários e dirigentes. Infelizmente foi vítima de um governo que acabou com parcela significativa das empresas estatais que davam resultados, vendendo para os estrangeiros por pouco mais de nada. Resumo: tem que haver é regulação, séria e eficiente. Quem vai fazer, pouco me interessa. Eu só quero poder ter água e esgoto.

  9. Rogério Ferraz

    Vejam onde pode ter nascido a ideia do atual prefeito de Santa Maria privatizar a água.
    Empresas de Lixo, que começam a atuar na área do saneamento, patrocinam campanhas políticas e depois cobram a fatura do prefeito eleito. Contratos emergenciais é a modalidade preferida dos prefeitos pagarem sua dívida com estas empresas.
    Foi assim com a Revita em São Gabriel. Teria sido assim com esta mesma Revita em Santa Maria?
    Leiam a matéria:

    Doação oculta é a preferida dos maiores financiadores

    Empreiteiras, bancos e setor de lixo deram a siglas 55% mais que a candidatos em 2008

    Estratégia legal impede que empresas sejam vinculadas a políticos, já que doam às siglas, que repassam verba; TSE estuda barrar a prática

    FERNANDA ODILLA
    ALAN GRIPP
    DA SUCURSAL DE BRASÍLIA- FOLHA DE SÃO PAULO

    Principais financiadores das eleições municipais de 2008, empreiteiras, bancos e empresas de coleta de lixo utilizaram em larga escala o artifício das doações ocultas no ano passado. Deram aos partidos, camuflando os verdadeiros destinatários dos recursos, R$ 85,9 milhões, 55% a mais do que o repassado diretamente a candidatos e comitês de campanha.
    Ao contribuir com as legendas, as empresas evitam vincular o seu nome a candidatos. O dinheiro entra no caixa do partido, que, por sua vez, repassa os recursos às campanhas. A sigla é que aparece como doadora. O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) estuda barrar a estratégia, permitida pela lei.
    Representantes dos três setores lideram as doações feitas aos partidos em 2008. Essas mesmas empresas foram mais comedidas nas contribuições diretas a candidatos e a comitês financeiros -R$ 55,5 milhões. Nesse caso, os repasses são publicados na internet 30 dias após as eleições. Na doação ao partido, a prestação de contas só é feita no ano seguinte.
    Maiores financiadores de 2008, as empreiteiras distribuíram R$ 60,1 milhões aos partidos e R$ 46,2 milhões a políticos e comitês. No caso de bancos e empresas de lixo, a proporção de doações ocultas cresce -os repasses foram, em média, três vezes maior. Quase todas as grandes empresas desses setores, líderes tradicionais em doações, optaram pelos dois meios de financiamento.

  10. Rogério Ferraz

    Vejam aqui, que em Santa Maria também teve contrato emergencial para esta grande patrocinadora de campanhas políticas chamada Revita

    COLETA DE LIXO. Pedida multa de R$ 4,1 milhões a Schirmer. A situação toda vem do Tribunal de Contas

    por Claudemir Pereira em 21/10/2013 20:23 | 9 comentários | Comente!

    É uma encrenca grande. E que vai acabar na Câmara de Vereadores, em última instância. Tudo tem a ver com irregularidades na contratação do serviço de coleta de lixo doméstico. Quem conta a história é a repórter Ananda Muller, em texto originalmente publicado no blogue “Últimas Notícias”, da rádio Gaúcha SM. Confira:

    “MP de Contas aponta irregularidades em serviço de coleta de lixo e prefeito Cezar Schirmer pode pagar multa de mais de R$ 4 milhões

    Uma auditoria feita pelo TCE fez com que o Ministério Público de Contas apontasse inconsistências referentes a contratações emergenciais realizadas pela prefeitura em relação ao serviço de coleta de lixo doméstico em Santa Maria. No parecer do conselheiro do MPC, Pedro Henrique Poli de Figueiredo, existe o pedido para que o prefeito Cezar Schirmer seja multado por infringir as normas administrativas de finanças e orçamentos. A multa pela conduta de Schirmer está fixada em R$ 4,1 milhões.

    Além disso, o conselho pede ainda que as inconformidades apontadas sejam levadas em conta quando da análise das contas do prefeito. O material será ainda encaminhado à Câmara de Vereadores da cidade e ao procurador jurídico do Legislativo, Vítor Hugo do Amaral Ferreira, para que possam ser tomadas as ações referentes ao poder legislativo municipal em relação ao caso. Até fevereiro de 2010, o serviço de recolhimento do lixo doméstico em Santa Maria era realizado pela empresa PRT. A partir da quebra do contrato foi realizada a contratação emergencial da empresa Revita, o que se…”

    PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

    Leia a matéria completa em: https://www.claudemirpereira.com.br/2013/10/coleta-de-lixo-pedida-multa-de-r-41-milhoes-a-schirmer-a-situacao-toda-vem-do-tribunal-de-contas/#ixzz2qqbqpIJa
    Follow us: @claudemirpe on Twitter

  11. oaranhanegra

    @Rogério Ferraz.
    Muito Bom Rogério, não tinha ,sacado…(Ligado), estes, interesses do pessoal do LIXO, meter a mão na Agua.
    em todo o Brasil. Esclarecedor.

  12. Rogério Ferraz

    Vejam Matéria do Claudemir em 2010. A Revita patrocinou campanhas do prefeito e depois ganhou, sem licitação, um presentinho deste mesmo prefeito.

    GULOSA. São Gabriel põe a Corsan para correr. Adivinha quem é a substituta? Hein? Isso mesmo, a Revita

    por Claudemir Pereira em 03/02/2010 07:16 | 10 comentários | Comente!

    Tudo no dia 29, a última sexta: a súmula do contrato com a Revita…

    A Revita Engenharia S/A e seus dirigentes devem estar bastante faceiros. Eles e os que dirigem a Vega, da qual é subsidiária. E mais ainda, talvez, os controladores do Solvi – grupo proprietário das duas empresas. Afinal, com uma gula incrível, em 45 dias, só no interior gaúcho, a Revita assume serviços importantes, com faturamento pra lá de interessante, em nada menos que três cidades.

    A primeira foi Pelotas, em dezembro. Ali, a empresa, via carta-convite, ABOCANHOU a coleta de lixo até então nas mãos da santa-mariense PRT – cujo contrato, a exemplo de Santa Maria, foi rescindido. A segunda foi São Gabriel. Hein? Sim, mas ali não é a coleta de lixo – aliás, muito bem feita por uma outra empresa santa-mariense, que poucos conhecem mas está demonstrando sua competência (a ANSUS – de capital inteiramente da boca do monte).

    … e o decreto municipal que afasta a Corsan da terra dos marechais

    O que a Revita fará na terra dos marechais? Bem, ler o Diário Oficial do Estado, como se sabe, já rende frutos. Ou notícias exclusivas, na verdade. O que pode ser a mesma coisa. Pois olha só o que este (nem sempre) humilde repórter encontrou, na página 129, da edição de 29 de janeiro, a última sexta-feira:

    1) a súmula do contrato estabelecido entre a prefeitura gabrielense e a Revita Engenharia S/A em que, sem licitação (atendendo aos reclamos da urgência, pela natureza dos serviços), a empresa passa a substituir a Corsan. Ah, e por conta disso receberá R$ 720 mil a cada mês. O prazo do contrato não está na súmula.

    2) Na mesma página (concluindo na seguinte, 130) encontra-se publicado o Decreto Executivo 010/2010, assinado pelo prefeito Rossano Gonçalves. Nele estão as razões para o fim do contrato de concessão com a Corsan, a determinação de que todo o patrimônio da companhia seja retomado pelo município.

    Quem quiser ler, terá que ir ao Diário Oficial. Aqui (até porque a nota apenas quer mostrar a gula, que é do legítimo jogo capitalista) o interesse é mostrar o quanto a Revita está se tornando importante. E,como você viu em texto anterior, seus controladores estão bem longe de Santa Maria, e do próprio Rio Grande do Sul.

    EM TEMPO: as razões para o distrato entre São Gabriel e a Corsan poderiam render uma boa discussão. Principalmente porque lá o pessoal cansou. Aqui, aparentemente, não. E, também, é preciso reconhecer, as circunstâncias contratuais são diferentes – o que dificulta uma decisão final de Santa Maria. É o que aparenta.

    Leia a matéria completa em: https://www.claudemirpereira.com.br/2010/02/gulosa-sao-gabriel-poe-a-corsan-para-correr-adivinha-quem-e-a-substituta-hein-isso-mesmo-a-revita/#ixzz2qrvikx1l
    Follow us: @claudemirpe on Twitter

  13. Neruda

    A coisa deveria ser bem simples. A prefeitura abre processo de CONCESSÂO e quem ganhar sabe que o investimento e todo e qualquer equipamento que for enterrado passa a ser do municipio. Já as instalações de TRATAMENTO, em terreno de propriedade da operadora DEVEM ficar disponíveis e operacionais por mais um ano, tempo que uma POSSIVELL segunda empresa que substitua a titular consigam negociar a compra ou façam nova instalação. As redes ficam com o municipio.
    Soube que em São Gabriel as plantas das redes sumiram e a nova empresa teve que apelar para os antigos funcionarios para saber onde estavam os tubos.
    CONCESSÃO no universo dos ônibus é diferente, pois o serviço é feito por equipamentos moveis, de facil retirada. Em cada contrato diferentes cláusulas. Periga e o titular deixaria os ônibus no final para a prefeitura “gerenciar”. Imagina o pátio da prefeitura chegando um monte de bus, todos na capa da gaita, pois meses antes o titular naõ faria todas manutenções e não renovaria a frota.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *