CidadaniaPolíticaSanta MariaSegurança

NAS RUAS. Manifestação do “Bloco de Lutas” acaba com pelo menos 15 feridos. E um punhado de versões

Uma certeza: houve confronto. Muitas dúvidas: as culpas, se houve, foram de quem? O fato: pelo menos 15 feridos, manifestações de todos os lados, registro na polícia e um desfecho ainda imprevisível. Tudo isso (e talvez tirar uma conclusão minimamente próxima da realidade factual) foi acompanhado nesta quinta-feira pelos veículos da mídia tradicional e também pela internet, sobretudo nas redes sociais (Feicebuqui à frente de qualquer outra), com as mais variadas opiniões.

O sítio optou por utilizar o material que daqui a pouco estará disponível na versão impressa do jornal A Razão (com foto de Juliano Mendes), como este sítio parceiro do portal Bei. São duas notas. Esta e outra que você lerá em seguida. E, no finalzinho desta, você tem também linques para material produzido por outras fontes. Acompanhe:

Foi um final de manhã inusual. E que acabou com a intervenção da BM e vários feridos
Foi um final de manhã inusual. E que acabou com a intervenção da BM e vários feridos

Protesto, confronto e feridos

Uma manifestação contra o aumento da passagem de ônibus em Santa Maria reuniu dezenas de pessoas na manhã de ontem, no centro da cidade. Entretanto, o que era para ser um ato pacífico, terminou em confusão e confronto com a Brigada Militar. Pelo menos 15 pessoas ficaram feridas, entre elas manifestantes e três policiais militares. Uma mulher teria desmaiado ao cair e bater a cabeça no chão. Um adolescente e um estudante de Direito foram autuados por pichação e agressão.

O protesto começou por volta das 11h, debaixo de chuva. No início, cerca de 40 pessoas se reuniram na Praça Saldanha Marinho, a maior parte delas jovens. Em seguida, todos se deslocaram para a frente do gabinete do prefeito Cezar Schirmer (PMDB), no prédio da SUCV, e interditaram o trânsito na Rua Venâncio Aires.

O ato foi organizado pelo Bloco de Lutas de Santa Maria. Com tambores improvisados com tonéis plásticos, os manifestantes cantavam frases como “Eu pago, não deveria, transporte não é mercadoria”. Com faixas e cartazes, o grupo seguiu pela Avenida Rio Branco em direção à sede da Associação dos Transportadores Urbanos (ATU), que foi fechada. Doze funcionários ficaram dentro do prédio.

Até então, o protesto seguia calmo. A confusão teria começado instantes depois que a porta da ATU foi pichada com a palavra “facção” e atingida por tinta vermelha. Segundo manifestantes, a Brigada Militar deteve duas pessoas. O restante do grupo tentou impedir, dando início ao confronto.

Para afastar os manifestantes, os policiais teriam disparado contra eles com balas de borracha e bombas de efeito moral. Os manifestantes revidaram atirando pedras contra a BM. O estudante Guilherme Pittaluga foi um dos feridos. “Me atingiram quando eu estava de costas, não pude nem me defender”, reclamou.

Uma mulher, que estaria junto ao grupo que protestava, teria desmaiado ao cair e bater a cabeça no chão. Imagens postadas ontem no Youtube pela Seção Sindical dos Docentes da UFSM (SEDUFSM) mostram a mulher sendo empurrada por um policial militar logo após tentar se aproximar dele. Ela ficou deitada no asfalto, sob a chuva, até ser socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Um tenente da Brigada também ficou ferido com uma pedrada. Ele teria sofrido fratura no nariz, segundo informou o comando da BM.

A rota da manifestação terminou em frente ao Diretório Central dos Estudantes (DCE). Mesmo diante da violência durante o protesto de quinta-feira, o comando do Bloco de Lutas anunciou um novo protesto contra o reajuste da passagem nesta sexta-feira.”

LEIA TAMBÉM OUTRAS VERSÕES PARA O QUE ACONTECEU:

GALERIA DE FOTOS DO JORNAL A RAZÃO (AQUI)

SEDUFSM: PM reprime ato contra aumento da passagem (AQUI)

DIÁRIO DE SANTA MARIA: Manifestação em Santa Maria deixa 21 feridos (AQUI)

PARA LER OUTRAS REPORTAGENS DO JORNAL A RAZÃO, CLIQUE AQUI.

 

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo