Câmara de VereadoresPolíticaPrefeitura

POLÍTICA. Câmara reabre trabalhos. Sem Schirmer

Está confirmada para amanhã, a partir das 3 da tarde, a primeira sessão da Câmara de Vereadores de Santa Maria, com o fim do recesso parlamentar. E, em vez de “extraordinária e especial”, com a presença do prefeito Cezar Schirmer que, conforme o Regimento Interno, seria o único a falar, deverá ser mesmo ordinária.

Conforme o editor apurou agora há pouco, no Palacete da SUCV, a tendência é que o prefeito não compareça, por outros compromissos de agenda, optando, como a legislação lhe permite, ir ao encontro dos edis em até 90 dias – o que, aliás, já ocorreu no ano passado, em função da tragédia da Kiss.

Como dá conta o artigo 218 do Regimento Interno do parlamento, anualmente, “dentro de noventa (90) dias do início do período legislativo, a Câmara receberá o (a) Prefeito (a) em Sessão Extraordinária Especial, que informará através de relatório a situação em que se encontram os assuntos municipais.”

A tradição era a presença do prefeito no primeiro dia. Não foi assim ano passado. Tende a não ser agora. Com o que, conforme o Boletim Legislativo divulgado pela Câmara de Vereadores, há apenas poucos requerimentos a ser votados e a sessão de amanhã deve ser curta. Deve.

 

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo