GOLPISTAS FIASQUENTOS. Fracassam as marchas “da família com Deus”, e pela volta da ditadura militar

GOLPISTAS FIASQUENTOS. Fracassam as marchas “da família com Deus”, e pela volta da ditadura militar - golpistas

Os sete (que não mostraram a cara) que querem a volta dos militares e até carta escreveram

Se para alguma coisa serviu essa movimentação, neste sábado, de toda da extrema-direita brasileira, travestida de defensora da família e temente a Deus, foi comprovar o óbvio: não há nada melhor que uma democracia, por mais imperfeita que ela seja. E que não é pela força, sempre acompanhada de torturas, desaparecimentos, mortes e falta de liberdade (como a que tivemos e contra a qual lutamos durante 25 anos, não faz muito), que os problemas brasileiros serão resolvidos.

De mais a mais, as chamadas “marchas” chamadas pelos golpistas (sim, o que defendem é um golpe às instituições) foram um completo fiasco. No maior dos eventos, realizado em São Paulo, sequer conseguiram reunir 500. E ainda protagonizaram uma verdadeira PANTOMIMA: num evento alternativo e mais “radical”, só sete pessoas se reuniram no Parque do Ibirapuera para levar uma carta aos militares pedindo a volta da ditadura.

No restante do país, convenhamos, o fiasco (ainda bem), foi mais evidente. Em Belo Horizonte, não mais que meia centena atendeu ao CHAMADO dos golpistas. Dois exemplos vindos do Nordeste são em si mesmo eloquentes. Em Pernambuco, não mais que seis pessoas FORAM à “marcha”, em Recife. No Rio Grande do Norte talvez tenha ficado bastante claro o clima de saudade dos golpistas, saudosos da tortura: nove homens estiveram na frente da principal organização do Exército na capital, Natal. Detalhe: afora um estudante de medicina de escolar particular, os outros eram militares reformados. Tiraram o PIJAMA para dar sua contribuição ao fiasco nacional do golpismo.

Para conferir o “maior” dos atos pró-ditadura, confira o material publicado originalmente no G1, o portal de notícias das Organizações Globo. A reportagem é de Márcio Pinho e Tatiana Santiago. A foto é de reprodução. A seguir:

 “Nova versão da Marcha da Família percorre ruas do Centro de SP

Manifestantes se reuniram em São Paulo na tarde deste sábado (22), na Praça da República, para realizar uma nova versão da “A Marcha da Família com Deus pela Liberdade”. O grupo queria relembrar a marcha anticomunista e de apoio ao golpe militar realizada há 50 anos em 19 de março de 1964.

Em entrevista ao G1, o major da PM Genivaldo, comandante da operação no local, disse que cerca de mil pessoas participavam da Marcha da Família. O balanço foi feito cerca de 20 minutos do grupo chegar à Sé e encerrar o ato. Já o Centro de Operações da PM diz que 500 pessoas participaram do ato…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *