Claudemir PereiraEleições 2014JornalismoPolítica

É DA HORA. As engraçadas (e chatas e já repetitivas) ações dos patrulheiros eleitorais. Conheça 2 exemplos

O editor imagina que isso aconteça com todos os que, de alguma maneira, tem no noticiário politico a sua atividade cotidiana. Como é o mais, digamos, antigo, este profissional conhece o tipo faz muuuito tempo. Então, não é o caso de se abalar. Mas, convenhamos, dá até vontade de ser um daqueles riquinhos (e ricões) que estiveram no Itaquerão na última quinta-feira e… Bem, deixa pra lá.

Na madrugada de quinta, informações de Fátima Schirmer. E a ira patrulheira de um lado
Na madrugada de quinta, informações de Fátima Schirmer. E a ira patrulheira de um lado

Confira os dois exemplos mais recentes e, depois, vê se não é o caso de mandar… De novo, deixa pra lá. Ah, e dizer que a campanha eleitoral, oficialmente, sequer começou. Mas, enfim, olha só:

1) Nesta manhã, o editor recebeu um email (não, a identidade do cara será preservada, até porque pode ser um aspone de quinto escalão, que usou nome falso) fazendo “acusações” sobre um privilegiamento do candidato a deputado estadual Valdeci Oliveira, do PT. E mais: que por minha “notória” oposição (rsrsrsrsrs) ao governo municipal, “nunca dá notícia” de Fátima Schirmer, a candidata do PMDB.

Na madrugada desta segunda, informações sobre Valdeci. E a ira do outro lado. Que fazer?
Na madrugada desta segunda, informações sobre Valdeci. E a ira do outro lado. Que fazer?

2) Na sexta-feira, correspondência eletrônica em quase tudo semelhante, só que com outro objetivo, já havia sido enviada ao editor. Naquela, o papo era outro: “então, agora que você tem patrocínio da Prefeitura, todos os dias a Fátima Schirmer está no site”. E mais: “tu gosta mesmo é de dinheiro, seu vendido”. Claro que também era um idiota usando nome falso.

Agora, a pergunta do editor: como fazer? Ora, do mesmo jeito que até aqui. Realizando o trabalho e agradando ou desagradando. E que a patrulha, venha de onde vier, que vá para…Ai, quase saiu.

OBSERVAÇÃO: O editor não tem nenhuma ilusão. Haverá outros casos. Azar. É do jogo. O importante é o leitor, e não esses lambe-botas – sejam do governo ou da oposição. De qualquer governo, de qualquer oposição.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

4 Comentários

  1. @gef
    "Porque não coloca um placar dizendo quantas vezes foram mencionados cada um dos políticos nos últimos 6 meses?"
    Você podia estudar Estatística.
    Outra opção, que ocupa um numero menor de neurônios.
    Preencher por completo, à Tabela da Copa 2014.

  2. O editor se limita a colocar UM post de cada para afirmar que é imparcial. Porque não coloca um placar dizendo quantas vezes foram mencionados cada um dos políticos nos últimos 6 meses?
    Riquinhos e ricões no Itaquerão (desqualificação usando luta de classes). Nenhuma palavra sobre o novo insulto no Mineirão, que ocorreu mesmo sem a presença da Dilma. O uso contínuo de adjetivos ofensivos nos comentários (idiota, boçal, ignorante, lambe-botas) sem restrições, respeito é só para alguns…
    Se o povo fala que a vaca é malhada é porque alguma manchinha ela tem.

  3. Pega os candidatos daqui e todos dias dá UMA notícia com o nome de cada um(a). Ou duas…ou três, bem igual. Querem nome na "capa" das tuas notícias… dá este gostinho, e deixa o leitor e eleitor escolher a relevancia. Quantidade não é qualidade, que exige a quantidade é porque não tem qualidade.

  4. É. Tem mais boçais entre o céu e a terra do que nossa vã imaginação possa alcançar. Pior, eu acho que está só começando. As lombrigas começam a se agitar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo