ComportamentoEconomiaNegócios

A VIAGEM. Luciana Manica e o que podem ter em comum Carl Jung e a propriedade intelectual. E tem?

“…Mas adentremos na propriedade intelectual. Para a minha felicidade, Jung nos traz ensinamentos voltados à criação do espírito, mencionando o âmago do direito autoral, ao tecer que “o artista não é uma pessoa dotada de vontade própria, em busca de seus objetivos, mas alguém que permite a manifestação da arte através de si”. Nesse aspecto visualizamos a diferença entre uma obra autoral e uma invenção. Enquanto o direito autoral está voltado para a proteção da expressão do autor, a propriedade industrial visa salvaguardar a criação técnica.

Ao se reportar sobre o artista, Jung ensina que: “como ser humano, pode ter humores, vontades e objetivos pessoais, porém como artista é um ‘homem coletivo’, alguém que carrega e molda a vida de vários, inconsciente da humanidade”. Neste aspecto, Jung acaba por…”

CLIQUE AQUI  para ler a íntegra do artigo “A viagem”, de Luciana Manica Gössling. Ela é advogada, professora da Fadisma – de Direito da Propriedade Intelectual, Direito Internacional Privado, Direito Comunitário e da Integração – e especialista em Propriedade Intelectual. O texto foi postado há instantes, na seção “Artigos”!

ATENÇÃO


1) Tua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo