CongressoEleições 2014PartidosPolítica

POLÍTICA. Saiba quais as siglas que tiveram mais de 5% dos votos. E por que o PMDB virou imprescindível

A cláusula de barreira foi aprovada pelo Congresso em 1995. Valeria apenas em 2006, mas ainda assim o dispositivo acabou derrubado pelo Supremo no mesmo ano de sua promulgação – atendendo a uma ação direta de inconstitucionalidade.

Por ela, somente teriam direito a estrutura de funcionamento parlamentar (liderança, por exemplo, e tudo o que significa, digamos, em verbas) e horário em rádio e televisão, os partidos que fizessem 5% dos votos para deputado federal em todo o país, e no mínimo 2% em nove estados. Sim, os deputados exerceriam o mandato, mas perderiam as regalias o que, na prática, dificultaria muito a vida dos partidos.

Bueno, imaginemos que ela estivesse em vigor, agora. Nesse caso, apenas sete partidos (PT, PMDB, PSDB, PSD, PP, PR e PSB) teriam existência plena no Congresso. Esse é um dos elementos utilizados numa excelente reportagem assinada por Fernando Rodrigues, da Folha de São Paulo, e publicada em seu blogue no portal Universo Online. O outro? Sim, o que justifica o título: a onipresença do PMDB, que o torna simplesmente imprescindível em qualquer composição governamental que se queira fazer. Duvida? Então leia o texto a seguir:

PMDB é o único partido a ter deputados dos 26 deputados e de Brasília em 2015

…O artigo 17 da Constituição determina que um partido político precisa ter “caráter nacional”. Pela segunda eleição consecutiva, só o PMDB cumpre de fato essa exigência: foi a única legenda que elegeu deputados federais em todos os 26 Estados e no Distrito Federal.

Desde a volta do Brasil ao regime democrático civil, em 1985, tem sido incomum algum partido eleger deputados federais em todas as unidades da Federação. A primeira eleição para o Congresso pós-ditadura militar foi em 1986. De lá para cá, só houve 3 ocorrências de partidos com representantes eleitos para a Câmara em todos os Estados e no Distrito Federal –em 1986, com o antigo PFL (hoje DEM), e em 2010 e 2014, sendo o PMDB o protagonista.

O PT, que no último domingo (5.out.2014) elegeu a maior bancada, com 70 deputados, ficará desguarnecido na Câmara em relação a 6 Estados nos quais não elegeu representantes para enviar a Brasília: Amazonas, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima e Tocantins.

O PSDB, embora apenas com a terceira maior bancada, conseguiu sair das urnas mais nacional do que o PT. Os tucanos só não elegeram deputados em 4 Estados: Amapá, Piauí, Sergipe e Tocantins. Nestes 2 últimos, os tucanos sequer tinham candidatos.

Aliás, uma curiosidade: o PSDB foi a única legenda grande (com mais de 5% dos votos para deputado federal no país inteiro) que nesta eleição de 2014 não lançou candidatos para a Câmara em todas as unidades da Federação…”

deputados por bancadaPARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Há uma perspectiva de tempos bicudos. O diretor da Petrobrás, um doleiro e a contadora do doleiro. E o foco não é só a Petrobrás. Marcos Valério pegou mais de 40 anos e o negócio agora é "o bom cabrito é o que berra e pega menos tempo". Tem gente eleita que pode perder o mandato.
    E, como o mundo não para por causa das eleições, as últimas previsões são que a seca no centro-sul do país vai continuar em 2015. Previsões podem estar erradas, mas se estiverem mais ou menos certas, safras serão menores e existe o risco de racionamento de energia porque os reservatórios estão muito baixos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo