Educação

EDUCAÇÃO. “A qualidade do nosso ensino é preocupante”, analisa Carlos Costabeber em artigo

Estudioso da matéria, fiquei impressionado com a manchete de capa do jornal Valor Econômico da última 5ª. feira: “Brasileiro lidera indisciplina na aula”. Isso me deixou tão chocado, que decidi resumir nesse espaço o relatório da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), sobre ensino e aprendizagem. Afinal, o desenvolvimento econômico de um país, está intimamente associada à qualidade do ensino, à perda de tempo na instrução e oportunidade de aprendizado.

Entre os 34 países que participaram desse estudo desenvolvido entre 2008 e 2013, “são os professores do Brasil que dizem gastar a maior proporção do tempo, tentando manter a ordem na classe: 20% em 2013”.

“60% dos professores do 1º. Ciclo no Brasil, apontam que mais de 10% dos estudantes tem problemas de mau comportamento. A indisciplina é generalizada”.

“Além das interrupções de aulas pelos estudantes, há outras fontes de perda de tempo para aprendizado, como tarefas administrativas; e nesse caso o Brasil também aparece como campeão. A pesquisa mostra que é de 33%, na média, o tempo de não instrução relatado pelos professores”…

CLIQUE AQUI para ler a íntegra do artigo “Estudantes brasileiros lideram indisciplina em aula”, de Carlos Costabeber – graduado em Administração e Ciências Contábeis pela UFSM (instituição da qual é professor aposentado), com mestrado pela Fundação Getúlio Vargas em São Paulo, com especialização em Qualidade Total no Japão e Estados Unidos. Presidiu a Cacism, a Câmara de Dirigentes Lojistas e a Associação Brasileira de Distribuidores Ford. É diretor da Superauto e do Consórcio Conesul.

ATENÇÃO


1) Tua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Problema é querer resolver todos os problemas da sociedade na escola. Professor ganhando pouco e ainda ter que ensinar e fazer o trabalho de uma assistente social ao mesmo tempo.
    Obviamente existe também um componente ideológico. Soluções prontas para problemas mal diagnosticados. Vide o que acontece no Chile. Ministro da educação da esquerdista Bachelet está querendo reformar a educação. Detalhe, os melhores resultados da América Latina estão por lá. Ministro comparou o que acontece no sistema público e privado com uma corrida. Os alunos do sistema público correriam de pés descalços e os do sistema privado (e existem muitas bolsas por lá) correriam de patins de alta velocidade. Declarou que a primeira medida seria tirar os patins dos alunos do sistema privado. Nivelar por baixo, para resumir. Foi altamente criticado, voltou atrás e disse que foi mal interpretado.
    Pulando para o Brasil, professor nenhum reprova toda turma, mesmo que o nível seja baixo. Mais fácil baixar o nível das avaliações. Governo faz o mesmo, avaliações da educação são nacionais, resultados baixos são ruins para as urnas e para a "auto-estima". Mais fácil nivelar por baixo.
    E na Coréia? Ensino público não é muito bom, ao contrário do é pregado. Gurizada sai da aula e vai para dupla jornada. Cursinhos, aulas particulares. Até meia-noite, uma da manhã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo