Falta d’água: crise x oportunidade – por Carlos Costabeber

Todos os dias alguém me pergunta sobre a crise na economia brasileira; do que irá acontecer, e de como vou administrar a minha empresa nesse momento difícil. E sempre tenho uma resposta pronta: aprendi com a experiência, que é nessas horas que surgem oportunidades para se crescer e ganhar dinheiro (por exemplo: no final de 2008, por necessidade de sobreviver, apostei forte contra a bancarrota do sistema financeiro, e vendi mais de 1.000 carros novos em apenas 4 meses, no auge da crise).

Sem dúvidas, o Brasil vive um momento extremamente difícil: JAMAIS, EM QUALQUER TEMPO, SE CONJUMINARAM TANTOS FATORES NEGATIVOS: (1) estagnação econômica, com inflação alta, juros elevados, queda na demanda e empresas demitindo e congelando investimentos; (2) reservatórios de água em situação alarmante; (3) capacidade de geração de energia no limite; (4) Governo Federal e estados endividados; e (5) Operação Lava Jato, com desdobramentos políticos (e econômicos) imprevisíveis.

Realmente, O ANO DE 2015 SERÁ UM ANO NEGRO PARA O BRASIL.

A começar com um dilema gigantesco: uma cidade como São Paulo com seus 12 milhões de habitantes, tendo que conviver com 5 dias sem água na semana? Quando se imaginaria isso? Afinal, desde cedo aprendemos que o Brasil é dono da maior reserva de água doce do mundo. Ou como ficarão as siderúrgicas, grandes consumidoras de água?

Por isso, quero me fixar justamente nessa questão: a ÁGUA !

Tenho um amigo muito importante  que está monitorando para o Governo essa questão. E ele me falava sobre o cenário que está se desenhando: a situação do abastecimento em todo o Sudeste pode chegar em breve a níveis críticos, atingindo não só a população, como o fornecimento de ÁGUA PARA AS INDÚSTRIAS (a região concentra metade do PIB brasileiro).

Mas, em meio a isso, recebi um email de um ex-aluno, o Antônio Medeiros, hoje dono de um “sebo” (livros antigos) em Camobi. Diz ele: “professor, seria pretensão muito grande que Santa Maria montasse um plano para atrair cluster´s de indústrias paulistas? Tudo isso em função da falta de água ! Aqui temos o Aquifero Guarani”.

“Putzzzzzzzz”, foi a minha resposta! Não havia visualizado essa OPORTUNIDADE PARA SANTA MARIA. E realmente, A FALTA DE ÁGUA TERÁ TRISTES CONSEQUÊNCIAS A LONGO PRAZO, fazendo com que milhares de empresas do Sudeste, estejam pensando em migrar para regiões do Brasil com menor risco de fornecimento de água.

Claro que ninguém ficará imune à FALTA DE ENERGIA, pois é um fator diretamente ligado ao sistema hidroelétrico. E o próprio Aquifero Guarani não é um privilégio do Sul, mas também do Sudeste e Centro-Oeste.

Por isso, volto ao inicio desse texto: SEMPRE, EM TODAS AS CRISES, ALGUÉM CONSEGUIU TRANSFORMAR O MOMENTO, EM OPORTUNIDADE.

Então, vou endossar a ideia do meu aluno, deixando no ar esse pergunta: PODEMOS ATRAIR EMPRESAS DE FORA, EM RAZÃO DA FALTA D´ ÁGUA ?

Boa semana a todos !

PS. Precisamos nos conscientizar, e tratar de reduzir o consumo de energia, porque certamente irá faltar.



1 comentário

  1. GEF

    Claro que o governo federal não teve nada a ver com os 1000 carros. IPI zerado para carros 1.0 e cortado pela metade nos outros, IOF pela metade para pessoas físicas e outras coisinhas mais não tiveram influência nenhuma.
    Aquífero guarani no subsolo de mais de 150 mil quilômetros quadrados de São Paulo (mais de 60%) e ainda falta água. Não tem algo de errado? O aquífero era tudo o que falavam? Guerras iriam ser por água no futuro? O inimigo externo iria invadir o Brasil por causa da água?
    A Amazônia tem meia dúzia de hidrelétricas em construção (todas a fio d'agua) e mais 20 no papel. Faz mais sentido instalar indústrias por lá ou em SM? Alás, uma grande produtora de alumínio (que usa muita energia)lá pra cima parou a produção e esta vendendo eletricidade de geração própria. É mais lucrativo.
    E Santa Maria? Como está o desperdício de água? A Corsan, que não consegue terminar a obra de esgoto em Camobi, não constrói reservatórios na cidade há um par de anos. Está "tudo certo"?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *