EconomiaNegóciosPrefeituraSanta Maria

EXCLUSIVO. Schirmer negocia a vinda de uma das superlojas de departamento do País. Mas há um porém

 

Loja da Havan em Uberaba (MG) imita a Casa Branca, sede do governo dos EUA. Tem até a Estátua da Liberdade. A arquitetura é padrão da rede catarinense (foto Divulgação)
Loja da Havan em Uberaba (MG) imita a Casa Branca, sede do governo dos EUA. Tem até a Estátua da Liberdade. A arquitetura é padrão da rede catarinense (foto Divulgação)

Por MARCOS FONSECA

O prefeito de Santa Maria, Cezar Schirmer (PMDB), deve embarcar nos próximos dias rumo a Brusque, em Santa Catarina. A próspera cidade de 120 mil habitantes é sede da Havan, uma das maiores lojas de departamentos do país, com faturamento anual superior a R$ 2 bilhões. É exatamente com o diretor-presidente do gigantesco grupo comercial, Luciano Hang, que Schirmer pretende se encontrar. O motivo da reunião será estreitar relações com o empresário e mostrar que o Coração do Rio Grande, um importante polo comercial gaúcho, reúne todas as condições de receber a primeira loja da Havan no Rio Grande do Sul.

O zelo com que o prefeito trata Hang tem uma razão especial. O empresário já havia sondado Santa Maria em seus planos para ampliar em direção ao Sul a sua rede, formada por 87 unidades em 12 Estados. Todas as lojas ficam de Santa Catarina para cima. No Rio Grande do Sul, a Havan ainda é desconhecida para grande parte da população.

Uma das mais recentes filiais inauguradas no país fica em Uberaba (MG). É a 87ª. A loja de 14 mil metros quadrados e 200 empregados recebeu investimentos de R$ 35 milhões.

Ainda não se sabe o investimento planejado para o Rio Grande do Sul. O assunto, como é de praxe no mundo dos negócios, vem sendo tratado em sigilo. Tanto que Schirmer conduz pessoalmente as negociações. O segredo tem seus motivos. Um deles é evitar especulações, inclusive imobiliária. Há alguns anos, as Casas Bahia enfrentaram dificuldade para encontrar um imóvel em Santa Maria, já que a notícia da vinda da rede baiana provocou aumento de preços no setor. As Casas Bahia até compraram o espaço, mas a loja nunca foi aberta – em pouco tempo, a rede deixou, inclusive, o Rio Grande do Sul.

No caso da Havan, a disputa pela atração do investimento envolveria pelo menos outras duas cidades: Santa Cruz do Sul, que vem crescendo rapidamente, e Gramado, tradicional ponto turístico gaúcho. A favor de Santa Maria pesa o fato de ser um município voltado ao comércio e aos serviços. O varejo lucra, principalmente, com o alto poder aquisitivo da população, em especial dos servidores públicos. Segundo Schirmer, o fato de grande parte da renda local vir dos salários de servidores municipais, estaduais e federais é que tornaria Santa Maria imune à atual crise econômica brasileira, com forte reflexo na indústria.

Supermercados fechados aos domingos preocupam empresário

A mão de obra local também é farta. O que, então, poderia impedir a abertura de uma loja Havan na cidade? Segundo a reportagem conseguiu apurar, o receio estaria na questão trabalhista. Luciano Hang teria ficado preocupado com a proibição de funcionamento dos supermercados aos domingos e feriados em Santa Maria. A cidade é uma das poucas no país a adotar uma regra tão rígida. Além dos mercados, o comércio é fraco nos sábados à tarde e não funciona aos domingos, exceto em datas especiais.

E sobre essa preocupação revelada pelo diretor-presidente do grupo catarinense que Schirmer irá tratar. O prefeito tentará mostrar a Hang que o acordo trabalhista que impede a abertura dos supermercados aos domingos não afetaria a rede de departamentos, pois se trata de outro segmento varejista. O comércio não sofre restrições quanto aos dias de abertura. O que mantém as portas das lojas fechadas é uma questão cultural.

“A loja que quer abrir domingo está liberada e abre. Não somos nós os causadores do problema”, defende Eduardo Luiz Stangherlin, presidente do Sindicado do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios (Sindigêneros) de Santa Maria. Segundo ele, a não abertura dos supermercados aos domingos na cidade não afeta novos investimentos, nem mesmo no ramo supermercadista. Tanto que a rede Walmart, com o segundo Big, e o Carrefour, com o Atacadão, abriram as novas lojas depois que a regra passou a valer, em 2008. Além disso, Stangherlin destaca que a medida não afetaria uma loja de departamentos. Esse setor está liberado por lei federal para abrir sete dias por semana, exceto em feriados.

O que impede os mercados de abrir domingos e feriados em Santa Maria é uma convenção coletiva de trabalho assinada entre o Sindigêneros e o Sindicato dos Comerciários. Trata-se de uma medida legal, pois a convenção coletiva é amparada pela Lei Trabalhista e se sobrepõe às legislações federal e municipal que regram o funcionamento do comércio e dos supermercados.

Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Santa Maria, Jaques Eskenazi Neto, a vinda de uma nova loja será sempre bem-vinda. Contudo, ele afirma que a preocupação da entidade é fortalecer o comércio local.

Catarinense, mas com inspiração na terra de Barack Obama

O Grupo Havan surgiu na década de 1990 em Brusque. O nome vem da união dos nomes dos dois sócios do negócio: Luciano Hang e Vanderlei de Lima.

De início, a pequena loja da dupla vendia malhas e tecidos. No final daquela década, passou a importar tecidos e artigos de baixo valor agregado. Em 1999, Hang decidiu apostar as fichas na desvalorização cambial e resolveu investir no segmento de lojas de departamentos.

A primeira unidade de grande porte foi inaugurada em 2008, a partir da restauração de um antigo castelo de Brusque. A partir daí, o negócio passou a prosperar, até a Havan se transformar numa rede de luxo.

O grupo vende mais de 100 mil itens, de vestuário a eletrônicos e ferramentas. Tem mais de 12 mil funcionários, 80% deles mulheres, e faturou, em 2013, R$ 2,4 bilhões (6º maior do setor no país).

A meta da Havan para 2015 seria de chegar a 100 lojas e 25 mil empregados, dobrando o faturamento.

A principal marca da rede catarinense é a imponente arquitetura. Suas megalojas físicas são inspiradas na Casa Branca, sede do governo dos Estados Unidos e residência do presidente Barack Obama. É tamanha a admiração pela terra do Tio Sam que as lojas ostentam até mesmo réplicas da Estátua da Liberdade.

O grupo também tem investimentos em geração de energia elétrica, postos de combustível e hotelaria.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

8 Comentários

  1. Vamos mobilizar nossas Embaixadoras Chinesas, Alemãs, Russas e Polacas para fazer lobby em favor da instalação dessa loja de tremendo bom-gosto.

  2. AO ELISANDRO
    No Estado Democrático de Direito, ninguém é culpado até sentença transitada em julgado. No caso específico, o caso está em grau de recurso.
    Casos locais estão na mesma situação e, por isso, não são divulgados.

  3. Tomara que venha, pois Santa Maria precisa de um empreendimento desse porte. É coisa que transcende a mimimis políticos. Numa dessas, o Cezinha acerta.

  4. Eu também duvido muito que venha para cá. O perfil de loja da Havan não cabe nos espaços físicos que a cidade dispõe, nem nas áreas próximas à rodovias, que haveria disponibilidade, mas não há fluxo e urbanização próxima que justifique a instalação da loja. Isso que não entramos na questão abertura de lojas aos domingos…

  5. Conheço essa loja, e seria muito bom que independente de qual prefeito que esteja no poder, conseguisse trazer para nossa cidade uma loja que ajudaria no desenvolvimento da nossa cidade, na questão de abrir aos domingos como eu moro em Caxias do Sul aqui é normal e os dias de maior faturamento são aos domingos …estou torcendo que tudo de certo e que venha a Havan e outras lojas como ETNA, CASSOl, MERLYN LEROY, TOKSTOK, todas essas lojas já estão em.Caxias e funcionam muito bem….mesmo não tendo mão de obra

  6. Se fosse na época do PT, sindilojas e CDL já teriam marcado manifestação contra! Afinal, concorre com os empreendedores locais..

    quando o Carrefour veio, teve quem se posicionou contra pq não havia geração de emprego (apenas troca de lugar).. e o lucro gerado ia embora!

    Nada como um dia depois do outro!

    Em tempo: sou a favor da vinda!

  7. DUVIDO QUE VENHA…..Shirmer trouxe apenas desgraça até agora pra Santa Maria. É o maior papo-furado da história política, e ta fazendo escola, pois o Tubias a cada dia promete asfaltar uma rua, só para sair na mídia e não faz nada. Que desgraça meeeessssmo esse Governo. E ainda falta um ano para o atraso ir embora. Centro de eventos? Perimetral?

Deixe uma resposta para Claudemir Pereira Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo