ComportamentoCrônica

CRÔNICA. Márcio Grings e a Gertrudes. Se ela não existe hoje, pode apostar, em algum momento existirá

márcio chamada“…Nunca viu outra pessoa ao vivo. Nem homem, nem mulher. Só vê e minimamente interage com a máquina andrógina que aparece religiosamente uma vez por semana. Já chegou a duvidar de alguma existência humana semelhante à dela. Em seus pesadelos, só existem máquinas que comandam tudo. Ela é a única sobrevivente da antiga raça. Gertrud não se lembra de nada relevante acontecido além de alguns meses. Na verdade, só lembra-se das malditas paredes brancas e a luz predadora. Mesmo quando fecha os olhos. E como um arquivo baqueado, a memória sofre diversos apagões. De tempo em tempo ela passa por um processo de ‘imposição magnética’ que deleta coisas dentro dela. Não tem a mínima ideia de quem comanda esse troço, mas não há o que fazer a não ser ler e reler os manuais de procedimento. Uma espécie de Bíblia daquele lugar sem religião ou Deus…”

CLIQUE AQUI  para ler a íntegra da crônica “Uma menina chamada Gertrud 1.544”,  escrita pelo radialista Márcio Grings, colaborador habitual deste sítio, às sextas-feiras. O texto foi postado agora há pouquinho, na seção “Artigos”. Boa leitura!

ATENÇÃO


1) Tua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo