PartidosPolítica

PARTIDOS. Pozzobom e aliados vão a Aécio e até à Justiça para tentar reverter suspensão de convenções

Marchezan e Pozzobom: disputa parece não ter fim (foto Claudemir Pereira/arquivo do sítio)
Marchezan e Pozzobom: disputa parece não ter fim (foto Claudemir Pereira/arquivo do sítio)

Muita coisa ainda pode acontecer, no ninho dos tucanos gaúchos, até a convenção estadual marcada para o dia 14. Melhor rememorar. Tudo começou com as convenções municipais, em 16 de maio. Não foram muitas as comunas que conseguiram eleger suas direções (e delegados à convenção regional), por conta de uma determinação nacional: só os municípios que atingiram determinado número (percentual) de votos em 2014 estariam habilitados. Nos demais, houve intervenção da Executiva, sem a escolha de delegados.

O segundo momento foi a contestação de várias convenções, inclusive a de Santa Maria, em que o vitorioso foi o grupo do deputado estadual Jorge Pozzobom. Com 85% dos votos, só foram eleitos seus aliados como delegados, carimbando a possibilidade dele ser o presidente regional da sigla. Seu adversário, aqui e no Estado? O deputado federal Nelson Marchezan.

O terceiro instante desse episódio ocorreu na última sexta-feira, dia 29. O vice-presidente nacional do PSDB, deputado federal Bruno Araújo, por conta de recurso dos perdedores em cada pleito, emitiu resolução suspendendo quatro convenções municipais: Santa Maria, Caxias do Sul, São Leopoldo e Dom Pedrito – e também as que aconteceriam neste final de semana, nas zonais de Porto Alegre. Todas elas com predominância de delegados em favor de Pozzobom.

A resolução que suspendeu as convenções e reduziu os delegados de Pozzobom: bafafá
A resolução que suspendeu as convenções e reduziu os delegados de Pozzobom: bafafá

O editor não está fazendo juízo de mérito. O fato é que isso deixou o deputado tucano santa-mariense furioso. Ele e seus aliados. Que são todos os deputados estaduais, menos Pedro Pereira, ligado a Marchezan. Pereira também mostrou sua porção, digamos, braba. Nesta segunda-feira, emitiu nota pra lá de forte (a íntegra, se você quiser conferir, está num linque no final deste texto), fazendo sérias acusações ao santa-mariense, inclusive sugerindo sua destituição da liderança da bancada na Assembleia Legislativa.

E agora?

O forrobodó é dos grandões. Nesta terça, na capital, anuncia-se a apresentação de pelo menos dois nomes para concorrer à Presidência Estadual. Um é Pozzobom, outro é Lucas Redecker (deputado estadual e secretário de Minas e Energia). Ambos devem compor, ao que tudo indica, e concorrer contra Marchezan Júnior e, talvez, Vicente Bogo (dos históricos tucanos e que também estaria montando chapa).

Detalhe: se for mantida a resolução da Executiva Nacional, o número de delegados em condições de votar se reduz consideravelmente, na mesma proporção em que aumentariam, diz-se, as chances de vitória de Marchezan Júnior.

E vamos ao próximo round do bafafá. O deputado Jorge Pozzobom informou ao editor, na noite desta segunda, que na próxima semana (a da convenção, aliás), ele e aliados irão a Brasília. Objetivo: conversar não com o vice, mas com o presidente nacional do PSDB, Aécio Neves. E tentar reverter a situação. Imaginam que o ex-candidato a Presidente da República não está suficientemente informado da conjuntura estadual. Se, ainda assim, não conseguirem êxito, o caminho será o do Judiciário.
Palpite claudemiriano: haverá, ainda, fortes emoções até 14 deste mês. Pode apostar.

PARA CONFERIR A NOTA DO DEPUTADO PEDRO PEREIRA, CLIQUE AQUI.

PARA LER A RESOLUÇÃO QUE SUSPENDEU AS CONVENÇÕES, CLIQUE  AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Caro Claudemir, gostaria de fazer uma correção com relação às informações das Convenções das Zonais do PSDB-POA. As Convenções das Zonais realizaram-se nos dias 03, 16 e 17 de maio do corrente ano. Das 10 zonais, 6 fizeram composição e apresentaram chapa de consenso, com a participação de funcionarios do Deputado Federal; em 2 ocorreram disputas salutares que ao final da disputa compuseram na montagem da Executiva; 1 Zonal não atingiu o quórum mínimo e deverá realizar nova convenção. O resultado destas convenções foram homologados pela Comissão Executiva Municipal do PSDB-POA, não existindo nenhum pedido de impugnação do registro destas 9 zonais, bem como nenhum recurso com relação a homologação das zonais. Portanto, das 9 zonais que realizaram Convenção 8 estão aptas a participar das convenções municipal e estadual. Em uma das zonais, existiam duas chapas inscritas, as duas apresentaram impugnação que foram julgadas pela Comissão Executiva Zonal. Uma das chapas apresentou recurso e as contrarrazoes foram protocoladas na véspera da data da convenção,impedindo que o relator fizesse seu relatorio em tempo hábil para ser apreciado antes da realização da Convenção. Desta forma, o Estatuto partidário determina que "a convenção não se realizará". Esta Zonal poderia ter algum tipo de recurso pendente na Nacional, entretanto, na Comissão Executiva Estadual do PSDBRS não existe recurso protocolado, o que caracterizaria supressão de instância partidária. Assim, num GOLPE a Democracia Partidária, 52 delegados regular e democraticamente eleitos, estão com seu direito de voto CASSADO, num ato totalmente ARBITRARIO feito pelo Vice Presidente Nacional do PSDB, isoladamente (vide a resolução), onde a Decisão não é da Comissão Executiva Nacional e sim do Vice Presidente Nacional (vide inicio da Resolução). Estes esclarecimentos são necessários para que a verdade se estabeleça. Atenciosamente, Marcos Flach – Secretario Geral PSDB-POA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo