Claudemir PereiraColunaPolítica

IMPRESSA. Na edição desta terça, os dois vereadores que se colocam como “plano B” para os seus partidos

Você confere a seguir, na íntegra, a coluna do editor do sítio, publicada na edição desta terça-feira, 6 de outubro, no jornal A Razão:

Se precisar, estão prontos para o jogo

O PP não sabe o que fazer, sem José Farret na composição majoritária. O PMDB se vê na mesma situação, ainda que mantenha a disposição de, mantida a aliança com os pepistas, ficar com a cabeça de chapa.

Lendo com a devida atenção a elucidativa reportagem de Joyce Noronha, que A Razão publicou no final de semana, é possível identificar, porém, que há quem esteja pronto para uma empreitada diferente.

Um é mais explícito: Paulo Denardin, do PP. Não concorre a vereador, mas está “à disposição do partido para construir um plano que contribua com o crescimento de Santa Maria”.

Outro é mais sutil: Cezar Gehm, do PMDB, agremiação que preside. Mantém a candidatura à vereança, mas esclarece: “sou um soldado do partido”.

Desenhando: um não concorre à reeleição, mas está pronto para situação diferente. Outro concorre, mas não descarta nada. Assim é que temos, claramente, opções. Resta saber se PP e PMDB optarão por elas.

JORJÃO E TIAGO

Ninguém sabe como vai funcionar o Rede Sustentabilidade em Santa Maria. Inclusive porque não são conhecidos os que dele participarão, mais adiante. E também porque há tempo, pelo menos até março, para filiar pessoas, inclusive com mandato (no caso do mês derradeiro). Mas algo é possível afirmar: Jorge Trindade, o Jorjão, ex-petista, é ideologicamente incompatível com Tiago Aires, ex-PSOL. E, diga-se, vice-versa.

JORJÃO E TIAGO (2)

Há também outra nítida diferença entre os dois ex-PT e PSOL, agora no time de Marina. Um foi, discurso a parte, porque viu no Rede uma boa chance de, sem perder o mandato (não se sabia de março, ainda), aliar-se ao PSB de Fabiano Pereira. Outro deixou o partido que presidia para acompanhar aliados psolistas hoje na Rede. Resumindo: a troca teve origem e objetivos diferentes. O choque virá antes mesmo da esquina.

OAB/RS X SARTORI

quem diga que o governador Sartori tenha maioria para aprovar a limitação do pagamento das Requisições de Pequeno Valor (RPVs) em sete salários mínimos (hoje é 40). Mas a OAB/RS, maior oponente no projeto, não desistiu da briga.

DEBANDADA À VISTA

É muito possível que o Congresso aprove proposta do Governo que acaba com o chamado “abono permanência”. Se isso ocorrer, há quem aposte em grande leva de aposentadorias no serviço público federal em geral e na UFSM em particular.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

4 Comentários

  1. Concordo com Brando. PMDB é PMDB, Cunha e Temer tiveram o mesmo protagonimso no horario politico.
    Cunha do PMDB indicou Minsitro de Ciencia e Tecnologia. E em Sta Maria, temos o mesmo PMDB de Schimer.
    TEMER, SARTORI, SCHIRMER, CUNHA… PMDB que está coligado com PT. Petistas se desmarcarem de Cunha é hipocrisia pura.

  2. Assunto fora e também dentro da pauta Politica
    "O deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) questionou nesta terça-feira (6), durante entrevista ao 247, o motivo de o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Augusto Nardes ainda não ter sido convocado à CPI do Carf, no Senado, presidida pelo senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO)".
    Sul 21 em 06/10/2015

  3. PMDB gaúcho tem que ser tratado da mesma forma que o PMDB nacional: aliado do PT. A desculpa "não temos nada a ver" gera um comportamento passivo, uma desculpa para ficar em cima do muro.
    Alguém pode falar que a pauta local é diferente, o que duvido muito. Os problemas estão aqui e o dinheiro esta lá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo