EconomiaHistóriaNegócios

NEGÓCIOS. Carlos Costabeber e os heróis de um comércio hoje dominado pelas empresas “forasteiras”

“…E lá fui acolhido como um filho, pelo Achiles Segala, Rui Ramos, Angelo Rizzatto, Tomaz Vieira de Castro, Mário Gaiger, Paulo Rubens Danesi, José Macedo, Nelson Borin, Fernando Binato, Guido Isaia, Lothar e Gunther Stoever, Humberto Ugalde, Carlos Alberto Ribas, Pedro e Mário Saccol, Alcides Mânica, o Fernando das Casas Roth, Luiz Odorissi, o Victor da Vicmar, entre outros daquela valorosa e “velha guarda”.

Entre os anos 60 e 80, o comércio de Santa Maria era formado unicamente por empresas locais. Os primeiros “intrusos” foram as (falecidas) redes Imcosul e JH Santos, e que foram motivo de um comentário que escrevi em 1975, intitulado “Invasão Alienígena”. Vejam que…”

CLIQUE AQUI  para ler a íntegra do artigo “Heróis do comércio”, de Carlos Costabeber – graduado em Administração e Ciências Contábeis pela UFSM (instituição da qual é professor aposentado), com mestrado pela Fundação Getúlio Vargas em São Paulo, com especialização em Qualidade Total no Japão e Estados Unidos. Presidiu a Cacism, a Câmara de Dirigentes Lojistas e a Associação Brasileira de Distribuidores Ford. É diretor da Superauto e do Consórcio Conesul.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Quarenta anos, 1975. Faltou citar os advogados, o bacharelismo nunca foi tão evidente e os editais de concursos são muito comemorados.
    A falta de sucessores também aconteceu no campo, pelos mesmos motivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo