Destaque

E DEPOIS? Se impeachment for admitido, Dilma só é afastada, se Senado instaurar processo

Neste momento, cerca de 25% dos deputados federais já votaram. Cunha abriu a votação, há meia hora
Neste momento, cerca de 25% dos deputados federais já votaram. Cunha abriu a votação, há meia hora

Neste momento, se desenvolve, na Câmara dos Deputados, a votação do relatório que pede a instauração de processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Admitindo-se a hipótese de que os seus patrocinadores (Eduardo Cunha, Michel Temer, Aécio Neves, entre outros) sejam vencedores, a decisão sobre se o processo será ou não aberto, é do Senado.

Apenas após a aceitação, se for o caso, é que a Presidente deixa o cargo, por até 180 dias, como mostra material originalmente publicado na versão online do Diário de Santa Maria. A foto é de Nilson Bastian, da Agência Câmara de Notícias. A seguir:

Dilma só ficará afastada da presidência se Senado instaurar processo de impeachment

O destino da presidente Dilma Rousseff na presidência da República será decidido a partir das 14h deste domingo, quando começará a votação da admissibilidade doimpeachment na Câmara. Entretanto, mesmo que o processo seja aprovado por dois terços dos deputados (342 votos), Dilma permanecerá no cargo.

Ela só será afastada das funções no momento em que o Senado instaurar o processo de impeachment, o que acontece com maioria simples de votos. Conforme o calendário proposto pela assessoria técnica da Casa, isso pode acontecer em até 24 dias após a manifestação da Câmara. Ou seja, até o dia 11 de maio.

No próximo passo, o processo passa a ser julgado pelos senadores. Caso esse julgamento demore mais do que 180 dias, Dilma poderá retornar ao cargo enquanto o processo segue. O presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), já afirmou que não pretende acelerar o rito, caso seja aprovado pela Câmara.

A sessão no Senado é conduzida pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF). Se ao menos dois terços dos 81 senadores (54 votos) decidirem pela condenação, a presidente da República perderá o cargo e ficará inabilitada por oito anos para o exercício da função pública.

Caso o impeachment seja aprovado no Senado, somente a presidente perderá o cargo. Quem assume em seu lugar é o vice-presidente, Michel Temer (PMDB). Se, por qualquer razão, ele não puder ficar à frente da presidência, a Constituição estabelece que serão convocados, sucessivamente, o presidente da Câmara, o presidente do Senado e o presidente do STF.

Entenda as etapas um processo de impeachment

  1. A denúncia é analisada pelo presidente da Câmara — cargo ocupado atualmente por Eduardo Cunha (PMDB/RJ)

Caso a considere procedente, conforme a Lei 1.079, de 1950, deverá ser lida em plenário e encaminhada a uma comissão especial formada por representantes de todos os partidos.

  1. Se a denúncia for acolhida pela comissão, o presidente da República deverá apresentar sua defesa, e a comissão poderá voltar a ouvir o denunciante ou fazer diligências

O parecer da comissão será lido no plenário e, posteriormente, levado a votação. Se ao menos dois terços dos 513 deputados votarem a favor da abertura do processo de impeachment (342 votos), ele será encaminhado para o Senado, onde tramitará (quando se trata de crime comum, o processo tramita no STF).

  1. Quando o Senado instaurar o processo de impeachment, o presidente deve se afastar das suas funções

Porém, se o julgamento demorar mais do que 180 dias, poderá retornar ao cargo enquanto o processo segue tramitando.

  1. A sessão de julgamento no Senado é conduzida pelo Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF)

Se ao menos dois terços dos 81 senadores (54 votos) decidirem pela condenação, o presidente da República perde o cargo e fica inabilitado, por oito anos, para o exercício de função pública…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo