Artigos

A chegada – por Alice Elaine Teixeira de Oliveira

aliceDesembarcou do ônibus sentindo a tontura dos viajantes. Horas de balanço constante, acelera e freia, sobe e desce, motor que ronca numa constante e gente que por vezes grita e sussurra. O calor e o frio se misturam dentro do espaço acondicionado sem ar. Cheiros e aromas peculiares o rodearam por tanto tempo que nem sabe mais qual é o seu odor próprio. As luzes das cidades, por vezes brancas e amarelas, fundem-se com o neon das placas e outdoors, ele viu todas as modernidades de um letreiro animado com alguns leds queimados. Sentiu fome e enjoo, dormiu e acordou, babou, tossiu, soluçou e até roncou.

Quando toca o tênis surrado e sujo no solo, após descer o último degrau do carro, ainda com a mão nos óculos escuros e tentando aclimatar-se, ele pensa no que deve fazer. Olhando em volta, mas sem poder ver com nitidez,  como uma cena sonurna, aproxima-se do bagageiro e entregando seu ticket resgata toda sua história dos porões do coletivo. Pisa em uma poça de água negra, mais óleo do que água, sujando ainda mais os cadarços longos do All Star outrora azul. Cobras e lagartos escoam em sua mente, enquanto a boca apenas murmura sons indecifráveis.

Tudo bem! Agora, já munido de tudo que é seu, o estômago e a bexiga chamam a atenção com insistência e urgência, mas, dentro da carteira de couro carcomida pelo tempo e o roçar do bolso traseiro da calça indica um grande problema. Um sanduiche de mortadela prensado ou um banheiro limpo? O sanduiche e um fechar de olhos no banheirinho da lanchonete, foi a sábia escolha. As cobras e lagartos transformam-se em crocodilos e dragões ao perceber o rolo de papel zerado. Sai do estabelecimento usando seus calçados sem as meias, afinal…

Com parte de suas energias renovadas e uma certa medida de satisfação estampada no rosto ele arrisca uma caminhada pelas ruas da nova cidade. Lojas, pessoas, bueiros e carros, tudo exatamente igual ao que ele já havia visto em todas as outras. Tudo estava lá, os cães, os taxis, as promoções e os ambulante, até mesmo os vendedores de perdão e os pedintes de compaixão. Nada mudou, talvez as cores e o tamanho das formas. O Sol é o mesmo e sua sombra continua igual.

Porém, existe algo que ele anseia e necessita, e isto está bem ali diante de si. Inspira profundamente o ar puro da cidadezinha de interior e mantém a sua própria resolução. Ele decidiu procurar a felicidade e não permitir mais que as barreiras o impeçam de encontrar o que tanto persegue. Hoje ele está convicto de que pode superar qualquer coisa e quer fazer sua vida dar certo. Percebeu que depende de quem ele é ou quer ser para atingir seus objetivos.  Como ele ouviu e viu tantas vezes nas frases de agendas infantil e femininas o que importa é SER FELIZ.

Então, ele sente o calor de uma aproximação familiar, seus olhos são cobertos por mãos delicadas e macias, o perfume envolvente e sedutor tomam de assalto seus pensamentos e todo seu corpo arrepia. Sua boca sorri junto com sua alma, o coração dispara em êxtase. Desprende-se de sua mochila e prepara seu universo inteiro para abraçar a sua felicidade e aconchegar-se em seus cabelos. Levanta os óculos e focaliza a única coisa que desejava ver há muito tempo.

Ele encontrou o seu caminho, seu lar e agora seguirá junto a ele, lado a lado. Não precisará mais andar sacolejando pelas estradas solitárias. A viagem será sempre agradável apesar dos problemas, porque agora ele encontrou dentro de si o seu amor.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo