Artigos

Vandalismo – por Maiquel Rosauro

maiquelUma vez, quando criança, peguei um pedaço de madeira no pátio de uma tia e trouxe para casa. Na minha imaginação, era uma espada perfeita.

Enquanto brincava, minha avó quis saber de onde eu tinha tirado aquela madeira. Quando eu contei, ela ficou furiosa e eu não entendi nada. Além do mais, qual o valor de um simples pedaço de pau que não serve para nada?

Resumindo a história, tive que devolver a “espada” e ainda levei uma longa bronca sobre não pegar as coisas dos outros.

No meu caso, uma bronca foi o suficiente para toda vida. Pena que nem todo mundo cresceu com uma avó furiosa em casa.

Na manhã de segunda-feira estive no Ginásio do Guarany-Atlântico, na zona Norte de Santa Maria, para acompanhar a avaliação de dois engenheiros da Prefeitura. O cenário é de abandono pelo poder público.

Como se não bastasse o vendaval que levou parte do telhado há um ano, tudo o que era possível carregar foi furtado, como a fiação elétrica, mangueira de incêndio, extintores, goleiras, redes, pias, vasos… E o que não levaram, destruíram!

As vidraças, em sua maioria, foram apedrejadas. O mesmo destino tiveram os refletores que os vândalos não conseguiram arrancar.

A porta de entrada foi derrubada e qualquer pessoa pode ingressar no local. Não é por acaso que no interior do ginásio havia um colchão, indicando que a estrutura interditada serve de pernoite.

Há dois dias me pergunto o que leva alguém a destruir um bem público. Há algum prazer nisso?!

Também não entendo a inércia da Prefeitura de Santa Maria. É tão difícil assim deslocar um guarda municipal para vigiar o ginásio?!

Como resultado, os R$ 300 mil já praticamente garantidos com Brasília para recuperar o local serão insuficientes porque não estavam previstos os atos de vandalismo. E essa conta, você sabe bem quem vai pagar!

OBSERVAÇÃO DO EDITOR: a foto também é de Maiquel Rosauro.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo