Claudemir PereiraJornalismo

SALA DE DEBATE. O governo Pozzobom e a pressão dos aliados: o prefeito eleito cederá? Ah, e a Lava Jato

Ricardo Jobim e Eduardo Rolim debateram a formação de um governo e as dificuldades. E, claro, as possibilidades (foto Gabriel Cervi Prado)
Ricardo Jobim e Eduardo Rolim debateram a formação de um governo e as dificuldades. E, claro, as possibilidades (foto Gabriel Cervi Prado)

As dificuldades para a formação de um governo sem ceder às inevitáveis pressões por cargos, oriundas dos partidos aliados. Esse foi o tema central do “Sala de Debate” de hoje, na Rádio Antena 1, entre meio dia e 1 e meia.

Bastante interessante, a respeito, foi aproveitar a vasta experiência de Eduardo Rolim, um dos convidados, junto com Ricardo Jobim, e que participou de processo semelhante, no fim dos anos 60, quando o pai dele, Luiz Alves Rolim Sobrinho, foi eleito prefeito de Santa Maria.

Ah, claro, também a Operação Lava Jato foi objeto de observações feitas pelos convidados, com a mediação deste editor. E o que eles falaram, afinal?

PARA OUVIR O “SALA” DE HOJE, BLOCO POR BLOCO, CLIQUE NOS LINQUES ABAIXO!

 

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Falar de pessoas da cidade é complicado no contexto do programa. Há quem diga que falo mal de todo mundo, mas a chance de alguém assim “estar sendo apenas educado” é bem menor do que uma pessoa que fala bem de todos (a menos que estejam distantes, como Efeagá).
    Vanderlei Cappellari está com os dias contados em POA, após uns vinte anos no cargo. Foi tema de campanha. Até Melo que é do atual governo prometeu a cabeça do sujeito. O assunto “trânsito” é complexo, mas todo mundo acha que entende. Geralmente as opiniões são para melhorar o tráfego no caminho do opinante. Só que a modificação num ponto acarreta efeitos em outros lugares, mas isto é secundário.
    Lula? É tão santo quanto Cristo. Inri Cristo, óbvio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo