EstadoSegurança

SEGURANÇA. Schirmer cogita até navios para colocar presos que hoje ficam em viaturas à espera da cadeia

No Correio do Povo (online), com informações da Rádio Guaíba e foto de CARMELITO BIFANO

Schirmer: uso dos contêineres está avançado, e não descarta navio e prédios
Schirmer: uso dos contêineres está avançado, e não descarta navio e prédios

Em entrevista ao programa “A Cidade é Sua”, da Rádio Guaíba, o secretário de Segurança do Rio Grande do Sul, Cezar Schirmer, garantiu nesta segunda-feira que o governo do Estado irá ter uma solução para os presos colocados em viaturas antes da virada do ano.

“Nós estamos estudando todas as alternativas sem preconceito, aliás, se alguém tiver alguma ideia, por favor mande para que a gente possa avaliar. O que eu posso garantir é que vamos resolver este problema emergencial até o final deste ano”, declarou o secretário.

Semana passada, o governo declarou que analisa o uso de contêineres para a colocação dos presos em triagem.

Schirmer explicou que uma equipe da secretaria de segurança foi até Santa Catarina, que já utliza o método, para analisar o funcionamento. Além disso, o secretário levantou a hipótese de um navio em boas condições para abrigar os presos. “Se eu achasse um navio em boas condições, qual seria o problema? Ele ainda citou a ocupação de prédios públicos para alocar os criminosos. “Estamos pensando em todas as soluções”.

O secretário explicou que é algo provisório, pois as soluções defintivas (construção do centro de triagem) irão levar pelo menos uns seis meses. “Mas não tem cabimento os presos ficarem em viaturas por dois motivos; primeiro porque viatura tem que estar operando e segundo lugar de preso é na prisão, delegacia é para investigar”, esclareceu.

Cezar Schirmer lembrou que de janeiro de 2015 até hoje aumentou em quase 6 mil o número de presos novos e a abertura de vagas nos presídios não ocorreu na mesma quantidade o que gerou esta situação.

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

CONFIRA, EM VÍDEO, A MANIFESTAÇÃO DE SCHIRMER SOBRE PRESÍDIOS:

 

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

5 Comentários

  1. A solução na segurança pública não se encontra neste tipo de medida paliativa que acabaria gerando ainda mais despesas públicas. O sr. Secretário poderia ouvir o que os juízes das Varas de Execuções Criminais do Estado pensam, estes profissionais vivem está problemática no dia a dia e acredito que eles estudam a fundo as soluções possíveis e mais pontuais a realidade vivida na conjuntura atual.

  2. Coloque o Roberto Carlos ou o Julio Iglesias cantando no cruzeiro marítimo, eles vão adorar! Ou a Rita Cadillac, a musa dos ressocializandos.

  3. Mais de dois meses tentando se apropriar da situação, enquanto os índices de violência seguem altíssimos e inadmissíveis. Do Beco da Tela até as principais ruas das 5 maiores cidades do RS, a constante sensação de insegurança está fazendo com que as pessoas fiquem conformadas e impotentes, visto que Estado é negligente naquilo que lhe é obrigação básica.Por que o nosso bem pago judiciário não faz um mutirão, para análise dos processos dos presos? Tem gente lá dentro que já caducou e venceu o prazo. Tem muito apenado em presídio que já cumpriu sua pena e aguarda sair.Se bem que tem muito apenado que prefere até nem sair. O tema é polemico, não se fica em cima do muro quando a gente sabe que 4 viaturas da Brigada, com pessoas detidas, na frente da área judiciária, aguardando lugar. Presos em contêiner? Há bem pouco tempo, crianças estudam locais assim.Mas navio?O governo do RS tem centenas de terrenos e imóveis ociosos.Por que não fazem um leilão?Uma parceria publico privada?Já existem experiencias bem sucedidas neste sentido. Tem empresário devendo milhões pro Estado.Para que inventar coisas mirabolantes? Olha tchê, chega a dar pena. Os distintos deliram de olhos abertos..

  4. Ora, não deixa de ser uma inovação interessante. Se tivesse um navio encalhado dando sopa, de empresa falida, custaria muito barato. E dentro do meio do mar não pega celular. Poder-se-ia colocar o pessoal mais perigoso dentro de navios longe da costa.

    Mas essas coisas não se “pensa alto” sem ter certeza da viabilidade financeira, técnica e de implementação, senão vira a piada do século. E logo quem estaria nela…

    E não podia deixar de fazer uma brincadeira politicamente incorreta: um navio pode afundar. Então um navio sem bote salva-vidas, não é Schirmer? k k k k k …

  5. Bom dia, Claudemir não seria interessante um transatlântico.!? Com todas as mordomias, Sim, que ao invés de arrumar as prisões, colocar a trabalhar nas estradas e etc…, colocar navio tem cabimento!!!??? Será que pra isso teria dinheiro? E pra pagar os salários atrasados não tem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo