Destaque

COLUNA. Nesta quinta, em A Razão, a provisória condição de dublê do prefeito eleito Jorge Pozzobom

Pozzobom ficará seis meses como dublê de prefeito e secretário de Saúde. É o período base, não o definitivo (foto Gabriel Haesbaert/A Razão)
Pozzobom ficará seis meses como dublê de prefeito e secretário de Saúde. É o período base, não definitivo (foto Gabriel Haesbaert/A Razão)

“…O que a todos parecia óbvio, mas ninguém dizia, a colega Joyce Noronha expôs em reportagem de ontem: sim, Jorge Pozzobom não será secretário de Saúde para todo o sempre. Inclusive por que, e isso é afirmação da coluna, embora a prioridade, por ele sempre realçada, a saúde não é o único tema de um prefeito. Mais: o prefeito e suas responsabilidades são gerais e não falta o que fazer em outros setores, igualmente importantes.

Com o que, e é esta convicção do colunista, se tem cada vez mais claro que houve, sim, dificuldades para encontrar alguém capaz de conduzir a Saúde com, vamos dizer assim, firmeza de propósitos. Ninguém melhor, assim, pensou Pozzobom, que ele próprio – com a…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

3 Comentários

  1. Caro editor. Só para lembrá-lo (anote aí) um pedido meu que fiz há semanas, na época das eleições, que gostaria que colocasse como uma sua “resolução de pós Ano Novo” como jornalista.

    Ao fazer a primeira entrevista exclusiva com o novo prefeito, quase certamente será em janeiro, diga-lhe que tem gente chata na cidade que quer saber exatamente, até nos centavos, para quem e quanto a Prefeitura de Santa Maria deve.

    Diga a ele para não citar o site da transparência que de transparência não tem nada, é só complicação.

    Que ele pode ter o tempo que quiser para elaborar uma planilha (mas não muito) e lhe passar, e assim irá divulgar aqui e na sua coluna de A Razão, caso quiser.

    Quero saber (acho que não só eu), resumidamente, uma linha para cada dívida, em ordem decrescente de valores, exatamente quando se tem de pagar de energia elétrica atrasada (isso apareceu no portal como sendo dito pelo próprio candidato na época), quanto tem de pagar de precatórios, etc..

    Não é lista de despesa mensal, é de altas dívidas previstas para os próximos anos e pagamentos atrasados que quero saber.

    Será bom para toda a Santa Maria saber. E por que é importante saber quais são as dívidas atrasadas? Porque quem deve não tem autonomia, não pode fazer o seu próprio caminho, não pode investir, não pode fazer mais dívidas, porque é preciso pagar as contas o quanto antes senão os juros comem uma parcela maior do que se arrecada, prejudicando os serviços essenciais.

    Agradeço a sua dedicação.

  2. Se o editor não tivesse dado uma palestra no programa Santa Maria Frente a Frente e perguntasse ao Alexandre Lima, talvez tivessemos uma vaga idéia a respeito da montagem da equipe da prefeitura.
    “Havera prejuizos para questões prioritárias”: não há como ser mais genérico do que isto. Como o autor nunca foi prefeito, melhor esperar e ver.
    O resto é colunismo social político.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo