Artigos

Ilhas em desenvolvimento – por Maiquel Rosauro

De todas as promessas de políticos que escutei ao longo dos meus 33 anos, pelo menos uma eu vejo como um caso sem solução: o desenvolvimento regional.

Não é que falte interesse. Falta verba, capacidade técnica e motivação política para desenvolver projetos que saiam das fronteiras municipais.

Semana passada, ao conversar com o prefeito de São Sepé, Léo Girardello, sobre seus planos à frente da Associação dos Municípios da Região Centro (AM-Centro), fui surpreendido pela sua sinceridade. Ele me explicou que seu principal objetivo é trabalhar para os municípios saírem do isolamento, pois mais parecem ilhas.

Lembro que há oito anos questionava o então prefeito de Santa Maria, Cezar Schirmer, recém-eleito presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde (hoje chamado Consórcio Intermunicipal da Região Centro – CI/Centro) sobre o tema. Ele dizia que pretendia revolucionar o desenvolvimento regional. Mas na prática, nada mudou.

Em início de mandato sempre há uma empolgação com tudo o que pode ser feito, mas com o passar do tempo os chefes de Executivo vão ficando cada vez mais preocupados em resolver seus próprios problemas. Logo, a integração regional vai ficando para depois…

As potencialidades dos municípios não são conhecidas por seus pares. Nos jornais, as notícias da região que ganham prioridades são, quase sempre, referentes a acidentes em rodovias, afogamentos, abigeatos, furtos, assaltos a bancos e homicídios.

Você sabia que São Gabriel está a caminho de se tornar o maior produtor de soja do Estado? Que São Sepé está construindo uma usina termelétrica de R$ 40 milhões? Que Caçapava do Sul desponta na indústria de azeite de oliva? Que Dona Francisca é um dos líderes em produtividade de arroz? Que Júlio de Castilhos promove uma das maiores feiras agropecuárias do Estado?

Precisamos redescobrir nossa região, este é o primeiro passo para interligar todas as ilhas.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

3 Comentários

  1. Concordo. Nossos jornais são uma vergonha. Desmotivadores, desestimulantes, trágicos. Quase operísticos Wagnerianos. São….PÉSSIMOS.
    Contribuo com uma ação que realizo de forma voluntária para a AMCENTRO há 3 anos. Não querendo chamar o prefeito de demagogo, mas duvido que ele conheça este portal, que e tão desprestigiado pela mídia local, e tem sido elogiado pela imprensa nacional direcionada ao turismo.
    Confiram, naveguem e conheçam a região do Vale Central Gaúcho e do Vale do Jaguari.

    78 meios de hospedagem
    104 restaurantes
    38 museus
    14 mirantes e belvederes
    Guias e Agencias de Turismo Receptivo
    Rotas e Roteiros
    Organizadoras de Eventos

    http://www.turismoregiaocentralrs.com

    Alowwww!!!!!

  2. Parabéns Maiquel!
    Eu acho que a “mídia” (e aí inclui jornais, sites, TV, etc) tem sua parcela de culpa. E você tocou no assunto: acidentes, crimes ganham destaque. Outras questões nem tanto.
    Um dos motivos, me parece, é que há muito jornalista “feijão-com-arroz”. Explico: é muito cômodo fazer reportagens com base nas ocorrências policiais. É só transcrever os B.Os. Difícil é marcar conversas com empresários, investidores e descobrir o que andam fazendo. Estudar assuntos econômicos regionais. Descobrir e escrever sobre belezas naturais, etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo