TRÂNSITO. Operação “Balada Segura” fiscaliza 91 veículos em Santa Maria na noite desta quinta-feira

TRÂNSITO. Operação “Balada Segura” fiscaliza 91 veículos em Santa Maria na noite desta quinta-feira

TRÂNSITO. Operação “Balada Segura” fiscaliza 91 veículos em Santa Maria na noite desta quinta-feira - prefeitura-balada

Ação foi na Rua dos Andradas, entre as Serafim Valandro e a Duque de Caxias e houve, entre outras, seis autuações por alcoolemia

Por ANA BITTENCOURT (texto e foto), da Assessoria de Imprensa da Prefeitura

A Prefeitura de Santa Maria realizou nova edição do programa Balada Segura, na noite desta quinta-feira (06). A ação fiscalizatória teve início às 20h30min, na Rua dos Andradas, entre as ruas Serafim Valandro e Duque de Caxias. Durante três horas e meia, 91 veículos foram abordados, resultando em 16 autuações (veja o balanço da operação abaixo).

Além de sensibilizar os condutores sobre segurança no trânsito e sobre os riscos de dirigir sob efeito de álcool, a ação também buscou identificar motoristas e veículos trafegando em desacordo com a legislação. Agentes da fiscalização de Transportes da Secretaria de Mobilidade Urbana também abordaram taxistas durante a operação.

A ação, promovida pela Secretaria de Mobilidade Urbana teve a participação de agentes da Coordenadoria Municipal de Trânsito Urbano (CMTU), com apoio da Brigada Militar, Guarda Municipal, Batalhão Rodoviário da Brigada Militar e Detran.

BALANÇO DA BALADA SEGURA

– Número de veículos abordados: 91;

– Número de autuações: 16;

– Dois veículos removidos por licenciamento vencido;

– Seis pessoas autuadas por alcoolemia, sendo uma por crime de trânsito (Art. 306 do Código de Trânsito Brasileiro: Conduzir veículo automotor com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool ou outra substância psicoativa que determine dependência);

– Dois motoristas sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH);

– Um motorista autuado por CNH em suspensão do direito de dirigir;

– Um taxista notificado por apresentar uniforme em desacordo com o especificado em legislação municipal;

– Um condutor de táxi não cadastrado para a atividade de taxista;

– Um taxista notificado por prestar serviço em veículo de prefixo diverso daquele para o qual não está cadastrado.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *