UFSM. Com trabalhos suspensos no final de maio, a Estatuinte é retomada (possivelmente) em 8 de agosto

UFSM. Com trabalhos suspensos no final de maio, a Estatuinte é retomada (possivelmente) em 8 de agosto - sedufsm-estatuinte

Quórum das plenárias é uma dificuldade que terá que ser enfrentada para que a Estatuinte da Universidade seja de fato representativa

Por FRITZ R. NUNES (texto e foto), da Assessoria de Imprensa da Sedufsm

As plenárias do Congresso Estatuinte UFSM deverão ser retomadas somente no mês de agosto, após o recesso de julho. A informação é do presidente do Congresso Estatuinte, professor João Batista Dias de Paiva. Em documento encaminhado aos congressistas, Paiva sinalizou uma possível data: 8 de agosto. No mesmo comunicado, o professor ressaltou que, independente das plenárias, as reuniões das comissões temáticas podem ser retomadas a partir da intenção dos próprios grupos.

Os trabalhos do Congresso Estatuinte foram suspensos, oficialmente, no dia 31 de maio. A suspensão ocorreu a pedido dos congressistas, tendo em vista o início oficial do calendário eleitoral de consulta para a reitoria da UFSM. Antes disso, a falta de quórum já havia inviabilizado diversas reuniões plenárias do Congresso Estatuinte ao longo dos primeiros meses de 2017.

Ainda pairam dúvidas sobre se o quórum mínimo para deliberação – 88 delegados (as) – será alcançado quando as plenárias forem retomadas. Contudo, durante o processo de debate na consulta eleitoral, o diretor do CT e candidato a vice da chapa de Paulo Burmann, que também é delegado na Estatuinte, professor Luciano Schuch, já sinalizara que serão propostas alterações no regimento do Congresso Estatuinte.

Em entrevista concedida no “Diálogo com as candidaturas à reitoria da UFSM”, em 13 de junho, e veiculada AQUI, Schuch afirmou que era preciso ser mais “pragmático” em relação à condução dos debates do Congresso Estatuinte. Para Schuch, o regimento interno, chamado por ele na entrevista de estatuto, precisaria ser rediscutido quanto ao quórum exigido, pois o número estabelecido estaria impedindo o avanço dos trabalhos, cujo resultado final será um novo Estatuto para a universidade.

PARA LER A ÍNTEGRA,  NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *